Dossier "Sally" #1: Candidatas a "Sally" vieram de norte a sul do país

O "Guia dos Teatros" decidiu organizar um pequeno Dossier sobre a produção do espectáculo "CABARET" que será levado à cena no Maria Matos Teatro Municipal com encenação de Diogo Infante. Achamos que por se tratar de um projecto interessante, feito em moldes não convencionais que se tratará de um "case studie" interessante. Começamos por agrupar algumas notícias que sairam na imprensa sobre as primeiras audições para o papel da protagonista, Sally Bowles, no que resultará no programa de televisão "À Procura de Sally". Para além deste dossier de imprensa iremos ter o diário de uma das concorrentes que se disponibilizou a escrever para o "Guia dos Teatros" relatando a sua experiência. Serão ainda publicadas entrevistas com os diversos elementos que irão compôr este "Cabaret".



A oportunidade de protagonizar um musical levou, ontem, quase quatro centenas de candidatas, com mais ou menos experiência, vindas de todo o país, a participar nas audições realizadas no Teatro Maria Matos, em Lisboa. O papel é o de "Sally Bowles", a personagem imortalizada por Liza Minelly no filme "Cabaret, adeus Berlim", de 1972. A selecção está a ser acompanhada pela RTP, que vai exibir a partir de Junho quatro programas. Catarina Furtado é a anfitriã da emissão televisiva.

Pelo palco do "foyer", o sonho era alimentado ou destruído no momento. O júri, liderado por Henrique Feist ("Família superstar", SIC) e Rúben Alves ("Operação Triunfo", RTP1), dizia de imediato quais as candidatas que passavam à fase seguinte e quais as que ficavam pelo caminho. Também houve as do "talvez" que, mais tarde, seriam de novo apreciadas.

Susi Silva, de 24 anos, foi uma das 50 concorrentes que passaram à fase seguinte. Veio de Coimbra e, além de um ano no Conservatório e uma passagem pelo "Cantigas da rua", da RTP, do currículo apenas fazem parte "castings" para outros programas e iniciativas. Para oferecer tem a experiência do fado, que canta desde os oito anos.

"A voz é o primeiro filtro, mas depois o que é mais difícil de avaliar é se é uma boa actriz. Tem de ser uma extraordinária actriz, de se mexer muito bem e de ter capacidade de comunicar, de aguentar um palco de 12 metros de lado e uma plateia de 500 pessoas. Tem de ter a capacidade de nos encantar, seduzir e maravilhar ,todas as noites. Isso não é fácil de concentrar numa só pessoa", explicou o encenador Diogo Infante.

O director artístico do "Maria Matos" não fez parte do júri desta primeira triagem, mas foi sua a decisão de abrir as audições para o papel a amadores. "Não era claro quem é que eu poderia convidar para este papel e dessa angústia surgiu o desejo de fazer audições. Depois pensei Já que vou fazer audições, deviam ser nacionais e abertas a toda a gente".

Filipa Azevedo, 16 anos, vencedora do "Família superstar", de Santa Maria da Feira, e outras duas participantes do "reality show" da SIC, Catarina Pereira (17), do Porto, e Nádia Correia (18), da Charneca da Caparica; e ainda uma amiga, Irís Lúcio (23), de Cascais, aguardavam a vez de entrar. A vontade de participar no musical era muita "É aquilo que gostamos de fazer". Mas apenas a candidata do Porto revelou ter feito pesquisa sobre o musical, ao ver excertos do filme no Youtube.

Entretanto, Cláudia Pais (33), de Lisboa, ficava a saber que tinha passado à fase seguinte. A experiência que trouxe do teatro não a impediu de sentir o "nervoso miudinho que se tem sempre". Trabalha numa produtora e integrou o projecto "À procura de Shakespeare", que esteve em cena no Teatro Armando Cortez. As audições ainda serão abertas a profissionais. As seleccionadas juntar-se-ão às 50 candidatas escolhidas ontem. Destas, serão apuradas as 20 melhores que vão frequentar uma formação intensiva - de movimento, dança e interpretação - e dessas resultarão as 10 finalistas que vão protagonizar duas galas televisivas de onde sairá a vencedora. O musical estreia a 10 de Setembro.
Ana Gaspar in JN
Foto de Bruno Simões Castanheira

Comments

Popular Posts