"Ivone, Princesa de Borgona" até 8 de Abril no Teatro do Bairro


Até 8 de Abril . Quarta a sábado . 21h30 | Domingo . 17h00

Teatro
IVONE, PRINCESA DE BORGONHA

A comédia de Witol Gombrowicz, que Luísa Costa Gomes traduziu, é uma paródia shakespeariana com uma estrutura dramática clássica. A encenação é de António Pires e conta com a versátil actriz Maria João Luís que regressa ao palco do Teatro do Bairro. No elenco, a par dos actores da Companhia do Teatro do Bairro, estão outros actores convidados, como Marcello Urgheghe, João Barbosa, Alexandra Sargento e Nuno Casanovas que, ao longo dos anos, têm integrado pontualmente os espectáculos do encenador, sendo seus cúmplices na linguagem cénica e forma de estar em palco.

“…Feita à maneira de uma tragédia clássica, Ivone tem os seus quatro actos e acaba…enfim, logo verão como acaba. Basta dizer que “bestialidade, selvajaria, idiotice e falta de sentido não param de crescer ao longo de toda a peça”. Que espécie de coisa é esta paródia de tragédia, que parece mais leve do que realmente é, bem mais profunda e complexa do que aparenta ser, talvez num movimento palaciano de dissimulação dos horrores sobre os quais assenta todo o poder…”
Luísa Costa Gomes

A acção decorre num tempo indefinido num reino imaginário e conta a história de Ivone, uma jovem plebeia insignificante e feia, calada e apática, que o filho do rei pretende para sua noiva, mas cuja passividade desperta os mais recônditos impulsos assassinos da corte. O príncipe Filipe, mimado pelos pais, com uma educação esmerada e com um futuro brilhante, tudo pode ter. Acreditando ser o destino, encalha em Ivone, a aventesma queda e muda, surpreendendo-se a si próprio. Contra o protocolo real, envolve-se com Ivone, decidindo casar com ela, perante a perplexidade dos pais e a troça dos amigos. Ridicularizada por todos e apesar de repetidas tentativas, ninguém consegue fazê-la falar e a tensão vai subindo. Ivone continua muda e o seu silêncio é encarado como uma provocação. Até que se descobrem segredos macabros supostamente bem guardados.

De Witold Gombrowicz; Encenação: António Pires; Tradução: Luísa Costa Gomes; Com: Maria João Luís, Marcello Urgeghe, João Barbosa, Mário Sousa, Alexandra Sargento, Hugo Mestre Amaro, Cláudia Alfaiate, Nuno Casanovas, Francisco Vistas, Carolina Campanela, Cenografia: João Mendes Ribeiro; Figurinos: Luís Mesquita; Adereços: Carla Freire; Caracterização: Ivan Coletti; Luz: Rui Seabra; Assistente de iluminação: Cláudio Marto; Música: Paulo Abelho; Assistente de som: Guilherme Alves; Ilustração : Joana Villaverde; Produção executiva: Ivan Coletti; Comunicação: Maria João Moura;  Produtor: Alexandre Oliveira; Produção: Ar de Filmes / Teatro do Bairro; Co-Produção: Teatro Nacional São João; Agradecimentos: Carlos Avilez, TNSC, TNDMII.

Dur. 100m . M/12

12€ . 6 €(<25>65 e profissionais do espectáculo) . 5€ (portadores de Cartão de Amigo e quarta-feira, dia do espectador)



Comments

Popular Posts