Tiago Rodrigues dirige École des Maîtres



Audições para atores entre os 24 e os 34 anos estão abertas até dia 22 de abril.

O encenador e diretor do Teatro Nacional D. Maria II, Tiago Rodrigues, dirige a próxima edição da École des Maîtres, um dos projetos internacionais mais significativos de formação teatral. O encenador português foi convidado para dirigir o coletivo de 16 atores e atrizes europeus que serão selecionados nos países parceiros - Portugal, Bélgica, Itália e França. Em Portugal, o projeto é liderado pelo Teatro Académico de Gil Vicente e, até ao dia 22 de abril, estão abertas as candidaturas para as audições. No dia 20 de maio, serão selecionados em Coimbra os 4 representantes de Portugal.

Portugal iniciou a sua participação regular neste encontro europeu em 1999, assegurado pelo Teatro Nacional D. Maria II e, a partir de 2012, liderado pelo Teatro Académico de Gil Vicente, em Coimbra. O nome do encenador Tiago Rodrigues junta-se a outro nome português, Luís Miguel Cintra, que dirigiu o projeto em 1991; e a encenadores internacionais que fizeram parte recentemente: Rafael Spregelburd, Constanza Macras, Christiane Jatahy ou, na última edição, o coletivo Transquinquennal.

A École des Maîtres é o projeto de referência na programação do Teatro Académico de Gil Vicente nos últimos anos e um dos projetos internacionais mais significativos de formação teatral avançada e tem como objetivo relacionar artistas europeus com idades entre os 24 e os 34 anos, oriundos de escolas de teatro europeias e com experiência profissional, com encenadores de renome internacional.

Este ano, a École des Maîtres decorre em Udine, Roma (Itália), Reims, Caen (França), Liège (Bélgica) Coimbra, Lisboa (Portugal), entre 19 de agosto e 1 de outubro. O trabalho assenta na troca de experiências sobre práticas de encenação, bem como nos diferentes métodos de criação teatral em diferentes línguas.

A cada ano, o curso reúne atores e atrizes de vários países europeus em torno de um encenador de referência internacional. Juntos participarão assim num trabalho baseado no encontro e no intercâmbio de conhecimentos, de metodologias e de práticas artísticas, partindo de textos, línguas e linguagens teatrais distintos, sob a forma de um workshop itinerante.
in JN
Foto: Jorge Amaral/Global Imagens

Comments

Popular Posts