Teatro Rápido em Agosto


PARA ONDE O SOL ME LEVAR

Agosto é sinónimo de praia, férias, sol e calor, também de viagens, emoções ao rubro, reencontros e revisitações. Viagens metafóricas; o sol como elemento de esperança. O Teatro Rápido não vai de férias, mantém-se de portas abertas, sendo uma boa opção cultural para o mês de Agosto.

Em Agosto assinalamos as estreias no TR de Alexandre Tavares, que encena Diogo Tavares, num texto de Armando Nascimento Rosa; Duarte Grilo, que já tem pisado o palco do TR BAR com Café Improv, faz a sua estreia em Sala com encenação de José Carlos Garcia. Anna Carvalho está de regresso ao TR ao lado de Marta Prieto e ainda a estreia absoluta no TR de Igor Sampaio ao lado de Isabel Damatta, pela mão de Fernarndo Gomes.
Pelo palco do TR Bar teremos o regresso de Eduardo Gaspar com o hilariante trabalho de “Elas Sou Eu” e ainda a continuidade do PFShortsFest.

Em Agosto o TR interrompe a Programação para a Infância, regressando em Setembro!

De 1 a 31 de Agosto -  de 5ª a 2ª


SALA 1 – Cigano de Lisboa
Horário das sessões: 18h00 | 18h30 | 19h00 | 19h30 | 20h00
quinta a segunda | M/12 | 3€

Texto: Armando Nascimento Rosa
Encenação e Cenografia:  Alexandre Tavares
Interpretação: Diogo Tavares
Produção: João Pires

Sinopse: 
Um “cigano” que não é cigano. Um rapaz cuja alcunha caracteriza um estilo de vida imposto desde muito cedo na sua existência. O seu avô, um bailarino reformado, e o último dos seus familiares vivo, ao descobrir a existência do neto, fez todos os possíveis para assegurar o seu futuro e ajudá-lo a cumprir o seu sonho de se tornar escritor, acolhendo-o quando mais ninguém o faria. No entanto, o jovem vê-se de novo na solidão, confrontando-se com a morte deste avô pouco tempo depois de o conhecer – e com ele, morre a recém-nascida esperança na sua triste vida.


SALA 2 – Belo, Feio e Assim Assim
Horário das sessões: 18h05 | 18h35 | 19h05 | 19h35 | 20h05
quinta a segunda | M/12 | 3€

Texto: Adriano Teixeira
Encenação: José Carlos Garcia
Interpretação: Duarte Grilo
Cenografia e Grafismo:  Pedro Vercesi
Fotografia de Cena:  Luciana Coelho

Sinopse: 
Amar e perder e depois escrever sobre isso, talvez seja essa a ordem natural das coisas. É tão difícil amar enquanto adulto, quando eu era um miúdo o amor era um coração toscamente recortado em papel de lustro, e agora, todos estes anos depois, não tenho uma melhor ideia do que ele é, apenas sei um pouco mais sobre o vazio que deixa quando morre.


SALA 3 – Barbona
Horário das sessões: 18h15 | 18h45 | 19h15 | 19h45 | 20h15
quinta a segunda | M/16 | 3€

Texto: Marta Prieto
Encenação e Interpretação: Anna Carvalho e Marta Prieto
Imagem Gráfica, Cenografia e Produção: António Proença Azevedo
Assistência de Produção: Rita Borreccio  e Ana Bicker

Espetáculo disponível em Português; Inglês e Italiano mediante reserva antecipada para grupos através do 213 479 138 ou tr@teatrorapido.com

Sinopse: 
Barbona (Mendiga em Italiano) é violada repetidamente pelo tio em criança. O pai não acredita. Acha que ela inventa todas aquelas histórias, até porque o tio é bom para a família. 
Barbona pegou numa mochila com algumas coisas e numa roda da sua bicicleta. Fugiu do seu país sem mais nada. Caminhou em direção ao Sol, como nos filmes. Caminhou todos os dias até chegar a Bolonha, cidade que, desde então, escolheu para ser a sua casa. Pelo caminho perdeu a razão.
Enlouqueceu de dor e de cansaço. Foi para onde o Sol a levou... para sempre.


SALA 4 – Sol-Ida-Mente… Juntos!
Horário das sessões: 18h20 | 18h50 | 19h20 | 19h50 | 20h25
quinta a segunda | M/12 | 3€

Autor: Tom Lis
Encenação: Fernando Gomes
Interpretação: Igor Sampaio e Isabel Damatta

Sinopse:
Tomé e Lis são um casal, como tantos outros, que já gastaram as palavras, já deixaram de se ouvir e apenas estão habituados a co-existir.
O medo da solidão, leva-os a irem vivendo cada dia sem prazer de ser, de estar ou mesmo de conviver, com os outros, e menos ainda, um com o outro.
Sentem a mente vazia de desejo. A ida a qualquer lado, é uma fuga para lado nenhum. Só o Sol consegue iluminar um pouco os seus dias “carregados de escuridão”.
Por isso, num dia de Sol, Lis pensa numa ida a qualquer lado, mas, rapidamente, perante a recusa de Tomé, a mente “abre asas” e começam a discutir, sem saberem muito bem porquê. 
Depois de alguma (des)conversa, palavras que apenas se juntam para formarem frases, que têm mais a intenção de atingir e magoar do que, interagir e (re)aproximar, acabam por exprimir o que lhes vai na alma e, no fim,  saem de mãos dadas para, finalmente, conversarem e apanharem Sol, solidamente juntos!


TR BAR
Sáb. dia 3 e Sáb. dia 24
Elas sou eu (o que a gente não faz para pagar a renda)
Café-Teatro
M/16 | 22h
ENTRADA: 7,50€ 
com oferta de 1,50€ em consumo TR BAR (não reembonsável)

Texto e Interpretação: Eduardo Gaspar
Encenação: Hugo Sovelas
Sinopse:
“Elas Sou Eu (o que a gente não faz para pagar a renda)” é uma comédia, ambientada no Brasil, que conta a história de quatro mulheres que têm um objectivo comum: ser bem sucedidas, seja emocional, social ou profissionalmente.
Lucy Neyde é uma perigosa empregada doméstica que faz de tudo para realizar o seu sonho de se transformar numa actriz famosa e reconquistar o seu antigo amor, um grande cantor da música romântica do Brasil.
Berenice, por sua vez, é uma fogosa baiana que procura a felicidade depois de um casamento frustrado e descobre os prazeres da vida através dos filmes pornográficos e do encontro com o mundo, um muito bem constituído nativo de Benguela. 
Yolanda é uma mulher da alta sociedade que se divide entre o amor à filha mais velha (Maria  Cleide), a repulsa pela filha mais nova (Maria Cláudia), a relação sobrenatural com o marido, Otacílio, e a falsa amizade com uma emigrante portuguesa. Gasta todo o seu tempo na harmonização de conflitos quando, na verdade, tudo o que quer são cinco minutos para beber sua flute de champanhe em paz. 
Por fim, a misteriosa irmã Bondade, religiosa não por vocação, mas pelo desígnio do próprio nome, que vive, segundo consta, pois nunca foi vista por ninguém, enclausurada num convento, algures em alguma parte do país. Sabe-se apenas que guarda consigo um segredo que está tão bem escondido como o seu verdadeiro objectivo de vida.


5ª dia 8 e 5ª dia 22
PFShortsFest
21h30
ENTRADA: 3,00€ com oferta de 1 imperial
O Portugal Fantástico junta-se ao Teatro Rápido para levar o cinema nacional ao Chiado. A partir de Junho, mensalmente, na segunda e última 5ª Feira de cada mês, às 21h30, serão exibidas várias curtas-metragens nacionais no magnífico espaço do TR BAR do Teatro Rápido.
As mostras serão exibidas no âmbito do "PFShortsFest" onde, em cada sessão, uma das curtas-metragens será escolhida pelo público como a melhor da sessão. Trimestralmente, as seis curtas-metragens escolhidas como melhores em cada sessão, estarão presentes numa mostra final onde será selecionada a vencedora à qual será atribuído um prémio.

REGULAMENTO: http://www.portugalfantastico.com/pfshortsfest/

Programa Dia 8
A Ceia
De Duarte Guedes
Sinopse: Um homem amargo está perdido e sem memória, será que se vai encontrar, será que quer ser encontrado?...
Classificação Etária: M/12

A Estrela Mais Brilhante
De Joana Santos
Sinopse: Vasco e o seu pai tentam ultrapassar a morte recente da mãe – Francisco, explica o
desaparecimento da mãe ao filho dizendo-lhe que a sua mãe está entre as estrelas, no céu.
Vasco decide traçar um plano para ir em busca da mãe ao espaço - constrói uma nave espacial
com destino às estrelas tendo como missão o seu resgate.
É uma história sobre a procura por algo que desapareceu, sobre o ultrapassar a ausência de
alguém e sobre a imaginação de uma criança.
Classificação Etária: M/12

Alabote
De João Garcia
Sinopse: Os pais de António partiram e deixaram-no com a avó materna. António sonha reencontrar os pais e vive num mundo de fantasia que lhe é proporcionado pela avó que tenta deste modo esconder a verdade. Há uma vizinha, que entre sopas e caldinhos, vai tentado abrir os olhos de António para a verdade. A verdade escondida dentro de um velho baú.
Classificação Etária: M/12

De Mim
De Carlos Melim
Sinopse: "De mim" é uma curta metragem independente, escrita e realizada por Carlos Melim, um jovem realizador madeirense. É um filme autobiográfico que acompanha o autor através dos sentimentos de perda e solidão. Trata-se de uma carta de despedida, escrita num momento limite, repleta de dúvidas existenciais… Durante seis minutos, acompanhamos os pensamentos do autor enquanto ele se questiona acerca das suas escolhas… Até decidir o caminho que pretende percorrer, revê as situações que lhe causam tanta dor… a perda de amigos, as saudades da família, os desgostos de amor…
"De mim" é a mensagem do realizador para todos aqueles que nos momentos mais sombrios já se questionaram sobre o sentido da vida… É sobre aquele momento particular em que nos sentimos tão deslocados, tão revoltados e tão sós que temos de fugir do mundo para nos reencontrarmos.
Classificação Etária: M/12

Tsintty
De Rui Pedro Sousa
Sinopse: Conta a história do desmoronar de uma relação amorosa, através do ponto de vista de 3 casais diferentes, e a solução para os problemas de quem é maltratado durante a mesma.
Classificação Etária: M/12


Programa dia 22
Clarisse
De Erick Loyola Sazo
Sinopse: "Por vezes a dor pode fazer-nos perder a noção da realidade, o passado misturar-se com o presente e tudo tornar-se incerto.
E é nessa incerteza que se encontra Clarisse (Francisca Figueiredo), uma jovem mulher perdida no tempo que aos poucos acaba por descobrir uma nova realidade que poderá mudar o rumo da sua vida."
Classificação Etária: M/12

Fogo & Prata
De Afonso Nunes
Sinopse: Ignis, uma jovem afável e bem-disposta, sente-se isolada perante a comunidade da aldeia: carrancudos e cabisbaixos, contrastando com a jovem.
Para fugir a esta realidade, a nossa heroína refugia-se no seu lugar especial: uma colina onde vê as estrelas e fala para os céus.
Certo dia, a caminho deste lugar, numa torre em ruínas onde os locais não se atrevem a chegar, conhece um rapaz jovial, que afirma conhecê-la bem.
Diz chamar-se Argentum embora os habitantes do mundo de Ignis se referem a ele sobre o nome de lua...
Classificação Etária: M/12
O Cheiro das Velas
De Adriana Silva
Sinopse: Uma festa surpresa ao contrário. Um filme sobre a infância, a distância e a paradoxalidade das emoções humanas.
Classificação Etária: M/12

Porque Tu Respiras
De Pedro Almeida
Sinopse: "Cada vez é mais difícil ter consciência do tempo ideal em que devemos parar. Conseguir fazê-lo parece por vezes impossível mas é essencial para seguir em frente."
Classificação Etária: M/12

R.I.G.I.D.
De Bruno Simões
Sinopse: The Earth has been invaded and most living beings have been abducted. One last survivor sees his hopes restored when he meets a scientist who has discovered an antidote against the abductions, but she's abducted before she can take him to the lab, so it's now up to him to get there and find the antidote.
Classificação Etária: M/12


Comments

Popular Posts