"U, Due, Três" acolhido no Meridional








7 a 18 de Julho
QUA a DOM às 22h

Um português, um catalão e um italiano encontram-se numa trincheira. Não é uma anedota, é o ponto de partida de U, Due, Três. Num espaço indefinido, que ganha vida à medida que o espectáculo avança, três actores vêem-se imersos numa situação surreal: uma guerra sem um inimigo identificável. O espaço, um quadrado vazio marcado apenas por fita adesiva branca, transforma-se em pátio, trincheira, campo de jogos, de vida e quase de morte, espaço onde cada um dos actores tem um momento biográfico para falar de si e da sua terra, espaço onde os três actores esperam, abrigados da ameaça iminente que parece não acontecer. Cada um vem de um lugar diferente, tem um passado diferente, não sabia que ia encontrar outras pessoas, primeiro isolam-se e depois decidem partilhar tudo o que têm. Um dramaturgo, de fora deste espaço, como um deus ex machina controla os fios de tudo o que acontece dentro do quadrado, manipula através de indicações que escreve e lança para cena. Ordens pouco claras que são cumpridas e que quebram o delicado equilíbrio das três personagens na trincheira. Em U, Due, Três tal como na realidade, a guerra transforma-se em jogo e o jogo em guerra.


Ficha Artística

Companhia Jogijo
Título U, DUE, TRÊS
Línguas italiano, portugués, catalán
Actores Jordi Arqués (CAT), Rui Pedro Cardoso (P), Stefano Panzeri (I)
Dramaturgia Gerard Guix (CAT)
Ideia, desenho cénico e direcção Jogijo
Desenho de luz Toni Font
Música original José Júlio Lopes
Duração 60 minutos
Apoios Instituto Italiano de Cultura de Lisboa; Espaço das Aguncheiras; Teatro Meridional
Classificação etária M/12

Comments

Popular Posts