FESTLIP na sua terceira edição faz homenagem a Maria do Céu Guerra








A actriz portuguesa Maria do Céu Guerra é a homenageada do festival que apresentará, de 14 a 25 de julho, peças, oficinas, debates, exposição fotográfica, shows e mostra gourmet

Primeiro festival a promover o intercâmbio teatral entre países da língua portuguesa, o Festlip chega à sua terceira edição comemorando, pela primeira vez, a participação maciça das nações lusófonas. Entre os dias 14 e 25 de julho, o Rio de Janeiro receberá 15 espetáculos inéditos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste em meio a uma programação gratuita que inclui ainda oficinas, debates, exposição de fotografias, shows e uma mostra gourmet. Realizado pela Talu Produções em parceria com a Rede SESC Rio e com patrocínio da Oi e Caixa, o festival rende homenagem este ano ao talento de um dos maiores ícones do teatro português, a atriz Maria do Céu Guerra.

“É gratificante ver o crescimento e a consolidação do Festlip”, comemora a atriz e produtora Tânia Pires, idealizadora do festival. “Começamos com dez espetáculos de cinco países. No ano seguinte, tivemos a entrada de Guiné-Bissau e já somávamos mais de 400 grupos inscritos e 31 mil espectadores nas duas edições. Agora contabilizamos 15 peças que representam todos os integrantes da CPLP. É mais um passo no objetivo de estreitarmos os laços entre culturas tão distintas e ainda muito distantes”.

Uma das mais proeminentes atrizes de Portugal, Maria do Céu Guerra vem ao Brasil com a premiada Cia de Teatro A Barraca, que ajudou a fundar há 35 anos, para apresentar o espetáculo ‘Agosto – Contos de Emigração’ e receber o troféu Festlip 2010, por sua contribuição ao teatro em mais de quatro décadas de carreira. A atriz e diretora ministra ainda uma oficina teatral aos participantes do festival e a estudantes de teatro como ouvintes, nos dias 19 e 20 de julho, no Espaço Sesc, em Copacabana. De Portugal, país que comparece este ano com o maior número de companhias, virão ainda o Teatro Meridional, com ‘Contos em Viagem - Cabo Verde’ – do consagrado diretor Miguel Seabra, presente na edição passada do festival com uma oficina teatral –; Trigo Limpo, apresentando ‘Chovem amores na rua do matador’, com dramaturgia de Mia Couto e do angolano Agualusa e Binólogos, com o espetáculo ‘Filhas da mãe - Fantasias eróticas das mulheres portuguesas’.

Este ano, a ampliada programação teatral circula novamente pelo Teatro SESC Ginástico, Espaço SESC e SESC Tijuca e se estende pelo SESC Rio Casa da Gávea e Caixa Cultural – Teatro Nelson Rodrigues. Sucesso de público nas duas primeiras edições, o FestlipShow retorna mais uma vez ao bairro da Lapa, agora em um espaço maior: o Teatro Odisséia. Lá, se apresentam os brasileiros Teresa Cristina e Orquestra Voadora; o angolano Abel Duerê; o grupo moçambicano Cheny Wa Gune Quarteto, e o músico cabo-verdiano Hélio Ramalho. Completam o diversificado time musical o DJ MAM e Elisa Lucinda, que faz participação especial declamando Fernando Pessoa.

Entre as atividades paralelas estão presentes também as mesas de debates. Nos dias 20 de julho, o Espaço Sesc recebe ‘A imprensa no universo teatral da língua portuguesa’, com mediação da crítica, ensaísta e professora Tânia Brandão, e, no dia seguinte, o Teatro Sesc Ginástico abriga ‘O diálogo do teatro dos países da língua portuguesa’, mediado pelo dramaturgo e roteirista Bosco Brasil.

A programação desta edição cresce não apenas nos palcos. Intitulada ‘Teatro sem fronteira’, a exposição fotográfica que este ano integra o Festlip é o registro da oficina teatral itinerante conduzida de outubro a dezembro de 2009 pela atriz Tânia Pires nos oito países da CPLP, onde reuniu grupos de diversas formações para encenar textos de Ibsen. “Foi uma experiência enriquecedora. Durante três meses vivenciei realidades distintas e tive a certeza de que o teatro da língua portuguesa brota de sua própria diversidade”, acredita Tânia.

Pelo terceiro ano seguido, o restaurante 00 Cozinha Contemporânea oferece um menu especial durante o mês de julho, com pratos inspirados na culinária dos países participantes. Nesta edição, a Mostra Gourmet, batizada ‘O sabor da língua portuguesa’, foi criada pela chef Joana Carvalho.

“Ao mesmo tempo em que quer aproximar cada vez mais estes países, intensificando seu intercâmbio, o Festlip tem também o grande propósito de destacar e sublinhar a pluralidade e a riqueza de linguagens culturais únicas mas que podem, sim, falar a mesma língua”, conclui Tânia Pires.

O Festlip conta com apoio do Ministério da Cultura do Brasil, Secretarias de Cultura do Estado e Município do Rio de Janeiro, FUNARTE, DGArtes - Ministério da Cultura de Portugal, Instituto Camões, CPLP - Comunidade dos Países da Língua Portuguesa e todas as embaixadas dos países participantes.


Programação FESTLIP - Festival de Teatro da Língua Portuguesa – 2010

Toda a programação – com exceção da Mostra Gourmet – tem entrada franca, com distribuição de senhas uma hora antes do início da sessão.

14/07/2010 (Quarta-feira)
Abertura do FESTLIP 2010*
19:00h - Teatro SESC Ginástico
Apresentação para convidados, do grupo português Trigo limpo, com o espetáculo “Chovem amores na rua do matador”, com texto de Mia Couto e José Eduardo Agualusa.
Entrega do “Troféu FESTLIP 2010” em homenagem à diretora portuguesa Maria do Céu Guerra.
21:00h - Clube Ginástico Português – Coquetel de confraternização
*Evento para convidados direcionado para a classe artística, autoridades e imprensa.

15 a 25/07/2010
Exposição “Teatro Sem Fronteira”
Exposição com fotos tiradas durante o projeto de oficina teatral itinerante pelos países da CPLP. Projeto idealizado pela TALU Produções com o objetivo de unir os países que falam português e disseminar a cultura por meio do teatro.


Mostra Gourmet – “O Sabor da Língua Portuguesa”
Restaurante 00 Cozinha Contemporânea – Pratos especialmente criados pela chef Joana Carvalho, inspirados na cultura e culinária dos países que falam a nossa língua.
Endereço: 00 Cozinha Contemporânea – Rua Padre Leonel Franca, 240 – Gávea – Tel. 2540-8041

17/07/2010 (Sábado)
22:00h – Teatro Odisséia
FESTLIPSHOW apresenta:

17/07

Festa do evento com músicos dos países participantes com um grande show de integração entre os artistas.
Endereço: Rua Rua Mem de Sá, nº 66. Lapa - Rio de Janeiro.
Telefones: (21) 2224.6367 ou (21) 2266.1014

OFICINAS TEATRAIS

19 e 20/07/2010 (Segunda e terça)
Com a atriz e diretora portuguesa “Maria do Céu Guerra” do grupo A Barraca, direcionada aos atores participantes do FESTLIP e para estudantes de teatro como ouvintes.
Entrada franca (distribuição de senhas 1 hora antes).
13:00h às 18:00h - Espaço Sesc - Arena
Maria do Céu Guerra é atriz e diretora portuguesa. Com um longo currículo, Maria do Céu Guerra esteve presente, em 1971, na fundação do Teatro Experimental de Cascais, um dos marcos do teatro independente português. Em 1975, criou a companhia A Barraca por onde vem atuando não só em Portugal, mas também em diversos países pelo mundo.

21/07/2010 (Quarta)
Com encenadores dos grupos teatrais do FESTLIP 2010
9:00h às 12:00h / 14:00h às 17:00h - Espaço Sesc - Arena

22/07/2010 (Quinta)
Oficina de iluminação cênica com Valmyr Ferreira
13:00h às 15:00h - Espaço Sesc – Arena

MESAS DE DEBATES
20/07/2010 (Terça)
Tema: “A imprensa no universo teatral da língua portuguesa” com mediação de Tânia Brandão.
20:00h – Espaço Sesc - Arena
* A mesa será composta por jornalistas especializados em teatro dos países de língua portuguesa, com mediação da crítica, ensaísta e professora, Tânia Brandão, e a participação dos jornalistas de Angola, Portugal, Moçambique e Brasil.
Entrada franca (distribuição de senhas 1 hora antes).


21/07/2010 (Quarta)
Mesa de debates – Tema “O diálogo do teatro dos países da língua portuguesa”
19:00h –Sesc Ginástico
* A mesa será composta por dramaturgos especializados em teatro dos países de língua portuguesa, com mediação do dramaturgo e roteirista, Bosco Brasil, e a participação de dramaturgos de Angola, Portugal, Moçambique e Brasil.
Entrada franca (distribuição de senhas 1 hora antes).


Programação Teatral do FESTLIP:

15 a 18/07 e 22 a 25/07 (Quinta a Domingo)
Mostra Teatral – Entrada Franca – Horários e endereços dos teatros:

• Teatro Sesc Ginástico - Av. Graça Aranha, 187. Bilheteria (21) 2279-4027
qui/sex/sab/dom – 19:00h

• Teatro Sesc Tijuca - Rua Barão de Mesquita, 539. Bilheteria (21) 3238-2109
qui/sex/sab/dom – 20:00h

• Espaço Sesc - Arena – Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana. Bilheteria (21) 2547-0156.
qui/sex/sab – 21:00h e dom – 19:30h

• Sesc Rio Casa da Gávea – Pça Santos Dumont, 116 sobrado – Gávea. Bilheteria (21) 2239-3511.
qui/sex/sab/dom – 19:00h e 21:00h

• CAIXA Cultural - Teatro Nelson Rodrigues – Avenida República do Chile, 230 - Conjunto Cultural da Caixa Cultural – Centro. Bilheteria (21) 2262-0942.
qui/sex/sab/dom – 19:30h



* Retirada de senha 01 hora antes
**Apresentações dos grupos teatrais, representantes dos países de língua portuguesa. Composto por 01 grupo Guiné- Bissau, de Cabo Verde, de Timor Leste, de São Tomé, 02 grupos de Angola, de Moçambique, 03 grupos do Brasil e 04 de Portugal. Totalizando 15 grupos com 40 apresentações. ENTRADA FRANCA.

Grupos Teatrais

PORTUGAL
Espetáculo: Agosto – Contos da Emigração
Grupo: A Barraca
Origem: Lisboa / Portugal

A Companhia: A Barraca foi criado em 1976 estreando o espetáculo “A Cidade Dourada”, trilhando um longo percurso até o que se pode chamar por teatro popular e se tornando uma das maiores companhias teatrais de Portugual. Popular porque prima por ser comunicativo e interveniente e porque gosta de fazer rir e levar a arte para todos, pois acredita que todos podem compreender tudo.

Sinopse: “Agosto – Contos da Emigração” buscou inspiração na literatura portuguesa para falar sobre a sua própria história. A história de homens que saíram para conquistar o mundo. O espetáculo fala das aspirações, dos sacrifícios, das alterações de vida, das frustrações, dos triunfos, dos gostos, dessas pessoas que deixaram Portugal em busca de riquezas para o país.

Ficha Técnica
Direção: Maria do Céu Guerra
Dramaturgia: Maria do Céu Guerra
Direção Musical: Mariana Abrunheiro, Sergio Moras, Rui Sá
Elenco: Susana Cacela, Rita Fernandes, Susana Costa, Luís Tomar, Pedro Borges, Rui Sá, Sérgio Moras, Sérgio Moura Afonso, Tiago Cadete.
Luz: Fernando Belo
Som: Fernando Pires
Cenário: Maria do Céu Guerra
Figurinos: Miguel Figueiredo
Voz Off: Helder Costa
Duração: 90 min.

Teatro Sesc Ginástico
Dias: 15/07 – Quinta-feira
16/07 – Sexta-feira
24/07 – Sábado


Espetáculo: Contos em Viagem – Cabo Verde
Grupo: Teatro Meridional
Origem: Lisboa / Portugal

A Companhia: Com 34 produções em seu currículo, o Teatro Meridional é uma companhia portuguesa voltada para a itinerância, que procura nas suas montagens um estilo marcado pelo despojamento cénico e pelo trabalho de interpretação do ator, fazendo da construção de cada objeto cénico uma aposta de pesquisa e experimentação.

Sinopse: “Contos em Viagem – Cabo Verde” é um espectáculo baseado em textos que, apesar de terem um contexto e geografia particulares, dizem da universalidade das emoções. Neste espetáculo, especificamente, fala de Cabo Verde contado pedaços de histórias e poemas em língua portuguesa e também no seu crioulo.

Ficha Técnica
Direção: Miguel Seabra
Dramaturgia: Natália Luíza
Direção Musical: Fernando Mota
Elenco: Carla Galvão e Fernando Mota
Luz: Miguel Seabra
Cenário: Marta Carreiras
Figurinos: Marta Carreiras
Duração: 60 min.

Espaço Sesc- Arena
Dias: 16/07 – Sexta-feira
24/07 – Sábado
25/07 – Domingo

Espetáculo: Chovem Amores na Rua do Matador
Grupo: Companhia Trigo Limpo
Origem: Tondela / Portugal

A Companhia: Desde a sua formação, em 1976, a Trigo Limpo vem se afirmando como uma companhia teatral que desenvolve a integração entre as diferentes linguagens artísticas e do espectáculo, como forma de potenciar uma intervenção teatral experimental, criativa e socialmente integrada numa intervenção cultural comunitária.

Sinopse: Baltazar Fortuna regressa a Xigovia para matar saudades de seus ex-amores: Mariana Chubichuba, Judite Malimali e Ermelinda Feitinha. Entretanto, num sonho, as três lhe dizem que ele já está morto dentro delas. “Chovem amores na rua do matador” é um texto poético, desenvolvido especialmente por José Eduardo Agualusa e Mia Couto para a Companhia Trigo Limpo.

Ficha Técnica
Direção: Pompeu José
Texto: Mia Couto e José Eduardo Agualusa
Elenco: José Rosa e Sandra Santos
Cenografia: Zétavares e Marta Fernandes da Silva
Figurinos: Ruy Malheiro
Luz: Luís Viegas
Duração: 90 min.

CAIXA Cultura - Teatro Nelson Rodrigues
Dias: 17/07 – Sábado
18/07 – Domingo
22/07 – Quinta-feira


Espetáculo: Filhas da Mãe – Fantasias Eróticas das Mulheres Portuguesas
Grupo: Binólogos
Origem: Almada / Portugal

A Companhia: Binólogos surgiu da vontade de unir teatro e dança, especialidades de suas fundadoras: Catarina Ascenção, bailarina, e Célia Ramos, atriz. Em 2007 dirigiram o curso “Mostras de ti mesmo”, baseado em experiências pessoais dos alunos, que resultou em um trabalho de teatro/dança. As primeiras criações surgiram desta primeira formação e continuam atualmente com grupos de diferentes escolas com idades entre os 16 e os 50 anos.

Sinopse: Partindo de testemunhos verdadeiros adaptados do livro - “Fantasias Eróticas, Segredos das Mulheres Portuguesas”, de Isabel Freire, a peça “Filhas da Mãe” conta a história de mulheres que corajosamente descrevem fantasias, fatos, percepções e emoções de suas experiências sexuais. Questionam e analisam os prejuízos que subsistem em relação à sexualidade feminina de forma lúcida e vivaz, apesar de curvas e contracurvas no labirinto da memória.

Ficha Técnica
Dramaturgia: Célia Ramos
Texto: Adaptação de “Fantasias Eróticas, Segredos das Mulheres Portuguesas” de Isabel Freire
Elenco: Célia Ramos
Figurinos: Catarina Ascensão e Célia Ramos
Cenário: Catarina Ascensão e Célia Ramos
Duração: 70 min.

Sesc Rio Casa da Gávea
Dias: 17/07 – Sábado
18/07 – Domingo
22/07 – Quinta-feira


MOÇAMBIQUE

Espetáculo: A Demissão do Sô Ministro
Grupo: Companhia de Teatro Gungu
Origem: Maputo / Moçambique

A Companhia: A Companhia de Teatro Gungu foi fundada em 1992 em Maputo, Moçambique. A primeira peça encenada pelo grupo foi “Tempo Zero” seguindo-se “Coração de Lagoa” em 1993. Nesse ano é criado o Gungulinho I, que passa a servir de grupo satélite da companhia e estreia a peça “Casado à Força”. O grupo também possui uma produtora, agência de publicidade e duas salas de cinema na capital de Moçambique.

Sinopse: Cheia de intriga e de momentos engraçados, “A Demissão do Sô Ministro” é uma peça que transporta o imaginário do espectador para as mais rocambolescas situações em que se vê envolvido um ministro recém-nomeado que, não tendo casa para morar, vai viver em um hotel. Para completar, tem ainda a presença de sua irmã sempre pronta a tirar vantagem da posição do irmão e um assessor “prestativo” na busca de benefícios pessoais.

Ficha Técnica
Direção: Gilberto Mendes
Texto: Gilberto Mendes
Elenco: Beatriz Munguambe, Emelda Macamo, Joana Fartaria, Joanett Rombe, Elísio Cuinica, Frederico Eduardo, Gilberto Mendes, Samuel Malumbe, Vasco Condo
Direção Musical: N’Star e Gilberto Mendes
Figurino: Companhia de Teatro Gungu
Duração: 80 min.

Teatro Sesc Ginástico
Dias: 18/07 – Domingo
22/07 – Quinta-feira
25/07 – Domingo

Espetáculo: Só Cheira Borracha
Grupo: Companhia de Teatro Kudumba
Origem: Maputo / Moçambique

A Companhia: A Companhia de Teatro Kudumba foi fundada em 2000, pela moçambicana Cândida Bila. Atuando em teatro, cinema e TV, os seus integrantes já produziram três peças de teatro, participaram de longas-metragens, com destaque para o filme “Ali”, de Michael Man, e lançaram uma nova fase da televisão de Moçambique, criando a primeira série televisiva no país, “Sorriso”, distribuída para mais cinco países.

Sinopse: Em uma família de três irmãos, aquele que é a base de sustento morre vitimado pela AIDS. Na busca de soluções, os irmãos se separam e tentam a sorte na capital Maputo. Lá, um deles consegue trabalho como empregado doméstico na casa de uma mulher ambiciosa que deseja ver os seus filhos casados com noras e genros ricos, porém mais uma tragédia se abaterá quando um dos filhos contrai a doença e a transmite para a sua mulher.

Ficha Técnica
Texto: Cândida Bila
Direcção: Cândida Bila
Elenco: Paulo Sérgio, Cândida Bila, Margarida Madina, Messias Grachane, Mário Mabjaia, Amina Abudo
Cenário: Cândida Bila
Coreografia: Noé Manjate
Figurino: Cândida Bila
Luz: Hermínio Ricardo
Duração: 80 min.

CAIXA Cultura - Teatro Nelson Rodrigues
Dias: 16/07 – Sexta-Feira
23/07 – Sexta-Feira


ANGOLA

Espetáculo: Olímias
Grupo: Companhia de Teatro Dadaísmo
Origem: Luanda / Angola

A Companhia: A Companhia de Teatro Dadaísmo surgiu em 2006 com a proposta de levar o Movimento Dadaísta ao teatro. Com sede na União dos Escritores Angolanos, o grupo é formado por professores, universitários e atores reconhecidos no país. Além da produção de peças teatrais, a companhia também oferece cursos e workshops.

Sinopse: "Olímias" conta a história de três filhos gerados por uma trama de amor e ódio, por um pai infiel, fazendo cair uma maldição sobre eles. Agora, o pai terá que pagar pelos seus erros e sentir a ira da vingança. Assistirá a tudo de forma passiva, os seus filhos se amando e se apunhalando, até que é chegado o momento do cumprimento da profecia.

Ficha Técnica
Direção: Hilário Belson
Dramaturgia: Hilário Belson
Elenco: Simão Paulino, Aurio António Pereira Quicunga, Cilana de Fátima da Silva Manjenje, Hilário Belson
Cenografia: Sidónio António
Figurinos: Sidónio António
Luz: Sidónio António
Duração: 90 min.

Teatro Sesc Tijuca
Dias: 17/07 – Sábado
18/07 – Domingo
22/07 – Quinta-feira



Espetáculo: 4’ 30”
Grupo: Miragens Teatro
Origem: Luanda / Angola

A Companhia: Um dos mais premiados grupos de Angola, o Colectivo Miragens Teatro foi fundado em 7 de Junho de 1995, em Luanda, na comunidade religiosa de São Luís. Sua principal proposta é utilizar o teatro para formar e informar com base em um profundo trabalho de pesquisa sobre a história de Angola, o que o levou a ser considerado um “ grupo escola”.

Sinopse: Partindo de depoimentos reais, "4 e 30" reconstitui a noite do desabamento do prédio da Direção Nacional de Investigação Criminal, do governo de Angola, também usado como prisão local. A peça leva o público a uma viagem sobre o que teria acontecido às dez senhoras que se encontravam nos escombros, na famosa “cela das meninas”. No espectáculo, elas contam as suas experiências em relação ao fato de terem sido presas, assim como o dia de saída que está prestes a chegar.

Ficha Técnica
Direção: Walter Cristóvão
Dramaturgia: Cris Wall de Sá
Elenco: Ruth Marcela Mateus Da Silva, Mariano Lourenço António, Cerafina Muhongo, Isaldina Antónia Sequenha, Carla Lutumba, Fernandes Martins Rodrigues, Wime Braulio Martins, Eliseu Patrício Diogo, Sizainga Raul
Cenografia: Rodrigo Fernandes
Luz: Antóio Cali
Duração: 70 min.

Teatro Sesc Ginástico
Dias: 17/07 – Sábado
23/07 – Sexta-feira


GUINÉ BISSAU


Espetáculo: Maria – Ritual das Parideiras
Grupo: GTO - Bissau
Origem: Bissau / Guiné Bissau

A Companhia: Logo após a sua formação, em 2004, o Grupo de Teatro do Oprimido "GTO -Bissau" viajou pelo país com a sua primeira peça: "Casamento Precoce, Marginalização, Impunidade e Corrupção". O grupo conta com 25 membros, sendo 13 multiplicadores e 12 atores em atividade. A equipe trabalha em todas as regiões de país, participando de forma ativa na mobilização social e na educação comunitária, em áreas como: saúde, educação, justiça, meio ambiente, saneamento, violência doméstica, gênero, entre outros.

Sinopse: Maria é uma jovem recém-casada. Ela conversa com o marido sobre o futuro que desejam para si e concordam em ter filhos, mas não imediatamente, pois uma gravidez inviabilizaria os sonhos dela. O tempo passa e o marido já não se mostra tão amoroso, gerando um enfrentamento entre ambos. O espetáculo é uma metáfora de uma cerimônia tradicional na etnia Felupe, que reúne as mulheres para celebrar sua fecundidade e seu poder com rezas, canto, danças e bebidas.

Ficha Técnica
Direção: Bárbara Santos e Alessandra Vanucci
Criação / Concepção: GTO - Bissau
Elenco: José Carlos Lopes Correia, Serando Camara Baldé, Edilta da Silva, Claudina Joaquim Silva Gomes e Roqui Conté.
Cenário: Domingos da Silva
Duração: 60 min.

Espaço SESC - Arena
Dias: 15/07 – Quinta-feira
23/07 – Sexta-feira


BRASIL

Espetáculo: Ferro em Brasa
Grupo: Os Fofos Encenam
Origem: São Paulo / Brasil

A Companhia: Os Fofos Encenam surgiram em 1992, no curso de Artes Cênicas da Unicamp. No ano 2000, Os Fofos montaram “Deus Sabia de Tudo...”, de Newton Moreno, espetáculo que marcou a transformação do grupo em companhia profissional de teatro de repertório. Em 2006 encenaram “Ferro em Brasa”, contemplado com o Prêmio Myriam Muniz - FUNARTE – Petrobrás e que também recebeu indicação ao Prêmio Shell na categoria especial pela pesquisa em circo-teatro e melhor atriz (Cris Rocha).

Sinopse: “Ferro em Brasa” é um drama trágico que valoriza a estética do circo-teatro. Às vésperas de seu casamento, uma jovem de uma aldeia portuguesa percebe que seu noivo não a ama mais, pois ele estaria apaixonado por sua mãe, a futura sogra. Ao descobrir este romance, o sogro traído mata o casal de maneira violenta, o que leva a jovem noiva à loucura.

Ficha Técnica
Concepção Geral e Direção: Fernando Neves
Texto: Antonio Sampaio
Adaptação: Newton Moreno
Assistente de Direção: Luciana Lyra
Elenco: Alex Gruli, Carlos Ataíde, Carol Badra, Cris Rocha, Eduardo Reyes, Erica Montanheiro, Chico Carvalho, Kátia Daher, Marcelo Andrade, Maria Stella Tobar e Paulo de Pontes
Direção Musical e Pianista: Fernando Esteves
Figurino: Leopoldo Pacheco e Carol Badra
Cenário: Leopoldo Pacheco e Marcelo Andrade
Iluminação: Eduardo Reyes
Duração: 78 min.

CAIXA Cultura - Teatro Nelson Rodrigues
Dias: 15/07 – Quinta-feira
24/07 – Sábado
25/07 – Domingo


Espetáculo: Drummond 4 tempos
Grupo: Cia Novo Ato
Origem: Goiás / Brasil

A Companhia: A Cia de Teatro Novo Ato surgiu em 2000 numa intensa pesquisa estética e corporal que culminou com a montagem de "O Caso do Vestido", adaptação do poema de Carlos Drummond de Andrade, vencedor de vários prêmios no Festival da FETEG -2003. Desde 2004, a Cia vem realizando apresentações visando um trabalho de difusão do teatro, contabilizando mais de 60 cidades e oitocentas apresentações.

Sinopse: O Espetáculo "Drummond 4 Tempos" é dividido em 2 comédias e 2 dramas dentro do vasto universo de Carlos Drummond, abordando as relações humanas em seus vários aspectos e peculiaridades do cotidiano da cultura brasileira. Há uma variação de ritmos, situações e personagens que compõem a sucessão das cenas. São elas: "Os Dois Vigários", "A Morte do Leiteiro", "O Caso do Vestido" e "Drummonzinho".

Ficha Técnica
Direção: Luiz Cláudio
Texto: Carlos Drummond de Andrade
Elenco: Luiz Cláudio, Marília Ribeiro
Trilha Sonora: Tony Rajuso
Cenário: Jairo Rodrigues
Figurino: Ivete Portela
Iluminação: Roosevelt
Duração: 80 min.


Sesc Rio Casa da Gávea
Dias: 15/07 – Quinta-feira
23/07 – Sexta-feira
25/07 – Domingo


Espetáculo: A Mulher que Ri
Grupo: Barracão Cultural
Origem: São Paulo / Brasil

A Companhia: Criada e dirigida pela atriz Eloisa Elena e pelo músico Dr Morris em 2001, a produtora Barracão Cultural realiza espetáculos musicais e de teatro, com a proposta de criar trabalhos que priorizam a pesquisa de temas e de linguagem, e que sejam acessíveis a diferentes públicos.

Sinopse: Um homem relembra seu relacionamento com os pais durante sua juventude e como o incrível bom humor de sua mãe transformou sua percepção da vida. Ele tenta reconstituir seu passado, achar sujeitos, verbos e objetos que possam nortear sua história. Em meio a essa busca, ele se encontra mais jovem e, como que suportando sobre si o peso da própria existência, consegue, finalmente, dar o ponto de partida para sua caminhada em busca do tempo perdido.

Ficha Técnica
Direção: Yara de Novaes
Assistente de Direção: Miriam Rinaldi
Dramaturgia: Paulo Santoro
Elenco: Eloisa Elena, Fernando Alves Pinto, Plínio Soares
Cenografia e Figurinos: André Cortez
Luz: Fabio Retti
Duração: 55 min.

Espaço SESC - Arena
Dias: 17/07 – Sábado
18/07 – Domingo
22/07 – Quinta-feira


CABO VERDE

Espetáculo: Androgínia
Grupo: Centro Cultural de Mindelo
Origem: Mindelo / Cabo Verde

A Companhia: O Grupo de Teatro do Centro Cultural do Mindelo é resultado do XIII Curso de Iniciação Teatral, promovido pelo Centro Cultural Português – Instituto Camões / Pólo do Mindelo e Centro Cultural do Mindelo. O grupo é formado pelos alunos participantes do curso e pretende ser mais uma contribuição para a promoção e o desenvolvimento do teatro cabo-verdiano.

Sinopse: "Androgínia" apresenta um casal dentro de um vínculo emocional patológico, de recusa de autonomia e identidades distintas, e de adesividade crônica. A peça discute a volência doméstica, evidenciando a oposição existente entre homem x mulher, agressor x vítima.

Ficha Técnica
Direção: Caplan Neves
Texto: Caplan Neves
Elenco: Caplan Neves, Idaletson, Genu Delgado
Luz: Adilson Spínola
Cenário: Caplan Neves
Figurino: Caplan Neves, Genu Delgado e Suzi Maocha
Música: Caplan Neves, Éder Fonseca
Duração: 80 min.

Sesc Rio Casa da Gávea
Dias: 16/07 – Sexta-feira
24/07 – Sábado


TIMOR LESTE

Espetáculo: Saramau
Grupo: Grupo Arte Lorosae
Origem: Timor Leste

A Companhia: A companhia foi criada em 2009 a partir da oficina teatral itinerante, ministrada pela atriz e produtora Tânia Pires e produzido pela TALU Produções.

Sinopse: Durante a ocupação do Timor-Leste pela Indonésia, na década de 80, Saramau, seguindo a tradição de seu país, casa-se com o seu primo direto sem amá-lo. Apesar desta distância amorosa, ambos têm uma história comum e envolvem-se na rede clandestina, que acreditava na libertação do seu povo. É neste contexto de cumplicidade e luta que Saramau descobre que o ama José, partilhando profundamente dos seus valores.

Ficha Técnica
Direção: Carolina Pereira Rodrigues
Texto: Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva
Elenco: Waldo Luna e Milena da Silva
Luz: Valmyr Ferreira
Cenário: Celso Paiva


Teatro Sesc Tijuca
Dias: 16/07 – Sexta-feira
23/07 – Sexta-feira


SÃO TOMÉ

Espetáculo: O Pagador de Promessas
Grupo: Grupo Fôlô Blagi
Origem: São Tomé / São Tomé e Príncipe

A Companhia: O Grupo é vinculado ao Centro Cultural Guimarães Rosa, da Embaixada do Brasil na República Democrática de São Tomé e Princípie e foi criado com o intuito de divulgar a cultura brasileira no país. Foi formado em 2008, a partir de uma oficina de dois meses realizada pela diretora e Professora Doutora da Universidade de Brasília, Izabela Brochado. Além do trabalho com o teatro de atores, o Grupo atua também com a linguagem do teatro de bonecos e tem apresentado em todo o país.

Sinopse: Nesta adaptação livre de “O Pagador de Promessas”, de dramaturgo brasileiro Dias Gomes, feita por atores santomenses, Brasil e São Tomé se misturam e a praça onde se desenrola toda a ação do espetáculo, se torna um espaço de encontro e de reconhecimento da influência africana na cultura brasileira.

Ficha Técnica
Texto: Livre adaptação de Izabela Brochado sobre a obra “O Pagador de Promessas”, de Dias Gomes
Direção: Izabela Brochado
Trilha Sonora: Jacy Braga e grupo
Figurino: Izabela Brochado e Terezinha Assis
Cenário: Kwame de Souza
Elenco: Amador Pinto Fernandes, Ana Clara da Trindade Tavares, Azinilda Duarte Lopes Fernandes, Alain do Sacramento Viegas, Nelson Vila Nova Vaz António, Inocêncio Ferreira da Costa Lima
Duração: 90 min.

Teatro Sesc Tijuca
Dias: 15/07 – Quinta-feira
24/07 – Sábado
25/07 - Domingo

A TALU PRODUÇÕES E MARKETING foi fundada pela atriz e produtora cultural Tânia Pires e pela jornalista e publicitária Luciana Rodriguez, a partir da idéia comum de desenvolver um trabalho abrangente e diferenciado de viver a cultura.

A proposta do trabalho se sustenta no modelo de transformação, através do investimento na diversidade e na fomentação da criação do artista. A filosofia da TALU se apóia na possibilidade de incentivar, divulgar e disseminar talentos nas mais diversas manifestações.

Com transparência nas relações e ousadia a TALU cria, planeja, desenvolve, produz e executa projetos culturais e sociais, desempenhando seu papel no mercado de forma ética, compromissada e singular.

A idéia do FESTLIP surgiu quando em uma viagem a Moçambique, África, Tânia Pires teve a oportunidade de dar aulas de teatro e conhecer de perto a manifestação artística de seu povo. A experiência de ver a diversidade das artes cênicas, através da língua portuguesa, motivou uma pesquisa sobre o teatro em todos os países que falam o português, nascendo então o FESTIVAL DE TEATRO DA LÍNGUA PORTUGUESA.

Diretora Artística e de Produção: Tânia Pires
Atriz, formada pela CAL (Casa de Artes de Laranjeiras) e Produtora Cultural, graduada em Produção e Política Cultural pela Universidade Cândido Mendes-R.J. Experiência em produção, elaboração e realização de projetos culturais, leis de incentivo, captação de recursos e confere oficinas e palestras no Brasil e fora do país. Idealizadora do FESTLIP - Festival de Teatro da Língua Portuguesa que em 2010 vai para sua 3ª. Edição, trazendo para o Rio de Janeiro espetáculos e companhias teatrais de todos os países da língua portuguesa: Angola, Cabo Verde, Moçambique, Portugal, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Diretora Executiva: Luciana Rodriguez
Publicitária e jornalista, graduada pela PUC-R.J, com Pós-Graduação em Marketing Estratégico pela ESPM - R.J. Atua no mercado como Executiva de Marketing há 20 anos, com larga experiência em concepção, planejamento, desenvolvimento, implementação, execução e gerenciamento de projetos em diversos segmentos

PRODUÇÃO FESTLIP 2010

Coordenadora de Produção: Vânia Matos
Coordenadora de Comunicação: Artur Malheiros
Supervisora de Produção: Nashara Silveira
Administração Financeira: Ouro Verde
Site - Design & Desenvolvimento: Ismael Lito
Mídia Impressa: Portas Design

Mais informações no website: www.festlip.com

Comments

Popular Posts