Ciclo de Teatro, etnografia, fado e música nova em Famalicão da Serra






A Casa da Cultura de Famalicão da Serra, no concelho da Guarda, aposta no teatro para os próximos três meses. Velho Palhaço Precisa-se, do Teatro Extremo, de Lisboa, e Vila Cacimba, nova peça do Teatro ACERT, de Tondela, são os principais destaques do 1º Ciclo de Teatro para a Família, Mas há etnografia, fado, oficinas e nova música popular portuguesa, na agenda da programação do primeiro trimestre da mais recente sala de espectáculos do concelho da Guarda.
Um Concerto de Ano Novo abre as portas à cultura que passará por Famalicão da Serra em 2010.
É já esta sexta-feira, primeiro dia do ano de 2010, que a Casa da Cultura de Famalicão da Serra arranca com a programação cultural da sua sala de espectáculos. A Banda Filarmónica de Famalicão dará, a partir das 17 horas, um Concerto de Ano Novo, que terá entrada gratuita.
Os próximos três meses trazem novidades e uma diversidade de propostas que vão desde aposta no teatro, na etnografia, fado, oficinas e concertos de grupos emergentes da nova música popular portuguesa.
O novo espaço cultural do concelho da Guarda inaugura, no final da próxima semana, a 9 de Janeiro, um ciclo de teatro especialmente pensado para as famílias, com a garantia de qualidade do Teatro Extremo, de Lisboa, com “Velho Palhaço Precisa-se”, uma peça que aborda o tema da competição feroz entre as pessoas e também as condições em que vivem os idosos na nossa sociedade, com uma proposta de reflexão às gerações futuras. Segue-se, no âmbito deste ciclo, a 27 de Fevereiro, a presença do Trigo Limpo Teatro ACERT, de Tondela, distrito de Viseu, com a sua última produção, “Vila Cacimba”, a partir de um texto de Mia Couto, um dos maiores vultos da língua portuguesa. É num ambiente de sonho e de policial, onde mora o romance e a novela mexicana, que se fundem e confundem, que seis actores colocam em cena uma história mirabolante centrada na busca de um remédio.
A 7 de Março é a vez de uma viagem fantástica à Terra dos Imaginadores, com uma oficina para crianças dos 6 aos 12 anos. Um espectáculo-oficina onde as crianças são desafiadas a habitar um mundo poético, desempenhando um papel activo no desenrolar da história. Uma viagem por um mundo a preto e branco onde antes as árvores eram da cor do arco-íris. As crianças percorrem territórios que as leva a tomar posições e reflectir sobre o medo e a capacidade de imaginar, de inventar, de criar soluções.

Etnografia em palco e música nova também
A Casa da Cultura de Famalicão reforça a presença da etnografia, ao mais alto nível, com dois dos melhores grupos folclóricos da região centro do País, recentemente destacados num concurso nacional de etnografia promovido pela Fundação Inatel. Rancho Folclórico de Santo Amaro de Azurara, de Mangualde, que vai reconstituir a matança do porco em palco, a 30 de Janeiro, e o Grupo Etnográfico Os Serranos, de Águeda, que se apresenta com três coreografias inspiradas nas tradições rurais, lendas e manifestações religiosas, além de danças e cantares.
A programação aposta nos cantares tradicionais com o Grupo “Os camponeses de Aldeia do Bispo”, a 23 de Janeiro, e o Orfeão do Centro Cultural da Guarda, a 21 de Março, ambos no âmbito da itinerância promovida pelo Projecto Andarilho. Haverá ainda fado, numa noite especial, a 19 de Fevereiro, com a presença de um grupo de fados da zona de Aveiro.
O grande destaque vai para a presença de dois dos mais inovadores grupos da nova música popular portuguesa, a 13 de Março. Os “Presença das Formigas” receberam o Prémio Zeca Afonso no Festival Cantar Abril - melhor interpretação e música original -com o tema “O Rei”. A fechar a programação de inverno, a 27 de Março, o melhor folk serrano com os enérgicos “Toques do Caramulo”. Um concerto que funde a sonoridade rude da tradição com as cores das novas músicas, num espectáculo de energia musical e interacção com o público.

Exposição sobre o queijo da Serra
“Leite, cardo e mãos frias – O queijo Serra da Estrela no Concelho da Guarda” (fotografia de Monteiro Gil e Fernando Curado Matos) é a exposição do trimestre, cuja organização e coordenação está a cargo do Núcleo de Animação Cultural da Câmara Municipal da Guarda. A inauguração é a 23 de Janeiro na sala de exposições da Casa da Cultura.

Comments

Popular Posts