Segunda Edição do Festlip - Festival de Teatro Da Língua Portuguesa

Shows, mostra gastronômica, palestras e oficinas complementam a programação gratuita

Em tempos de reforma ortográfica e propostas de unificação da língua portuguesa, a segunda edição do Festlip (Festival de Teatro da Língua Portuguesa) mostra como o teatro pode ser um elo tão forte quanto o idioma. Entre 2 e 12 de julho, onze espetáculos de seis países (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e Portugal) se alternarão no Teatro Sesc Ginástico, no Sesc Tijuca e no Espaço Sesc. Sempre com entrada franca, a programação deste ano homenageia o escritor moçambicano Mia Couto e se estende por outras áreas e espaços da cidade, como a Lapa, palco do Festlip Show, e o 00 Cozinha Contemporânea, que ganhará um cardápio inédito, inspirado na culinária típica dos países participantes. A segunda edição do Festlip tem produção da Talu Produções em parceria com o Sesc Rio.

Mais conhecido por sua obra literária, Mia Couto será lembrado no festival por suas criações como dramaturgo e virá ao Brasil receber o troféu Festlip 2009 pela expressiva contribuição e aprimoramento do teatro em Moçambique. Além de uma palestra sobre as relações entre teatro e literatura, o público poderá conferir a montagem de uma peça de sua autoria, ‘Mar me quer’, encenado pelo Grupo Tijac, de Moçambique. ‘A homenagem vem a calhar, pois a ideia do Festlip nasceu de uma visita minha a Moçambique, onde conheci o teatro local e o próprio Mia Couto’, explica Tânia Pires, idealizadora e produtora do Festlip.

Devido ao sucesso da última edição, este ano o festival precisou abrir um edital para dar conta do volume de companhias interessadas em participar da mostra. Com mais de 400 inscritos, um conselho da curadoria – a cargo da pesquisadora Maria Helena Werneck, de Zé Alex, diretor do palco giratório do Sesc, e de Tânia Pires – chegou aos onze grupos selecionados. Ao todo serão mais de 80 profissionais que virão ao Brasil especialmente para as apresentações. Cada país será representado por duas companhias, a exceção de Guiné-Bissau, que faz sua estreia no Festlip com montagem do Grupo do Teatro do Oprimido, criado no país pelo recém-falecido Augusto Boal.

‘Ainda existe, no Brasil, o não despertar para o conhecimento e consumo das culturas dos nossos irmãos de língua. Enquanto isso, a cultura brasileira adentra sem grandes dificuldades e permeada de aplausos em todos os países da língua lusófona. Na primeira edição do Festlip, ficou claro que a unificação da língua falada é algo intangível. A peculiaridade das expressões e vocabulários é a referência mais forte de um povo. Essa distância só tem um caminho a ser quebrada, através do intercâmbio cultural entre esses países’ reflete Tânia Pires.

Esta ideia central de intercâmbio é reforçada pelos eventos paralelos à mostra teatral. Um dos destaques fica por conta de uma oficina de três dias com o diretor português Miguel Seabra, do celebrado grupo Meridional, direcionada aos atores participantes do Festlip e para estudantes de teatro como ouvintes. Um dos principais expoentes do teatro contemporâneo europeu, o diretor vai dirigir um espetáculo no Brasil com estreia prevista até o final do ano. No elenco estarão Tânia Pires e Carla Marins, que escolherão um texto – de língua portuguesa – ao longo do festival.

Em outro dia, uma mesa de debates reunirá os onze diretores do festival em conversa mediada por Tania Brandão. Na via oposta, três companhias brasileiras com sede na Lapa – o Tá na Rua, de Amir Haddad, a Cia. dos Atores, de Enrique Diaz, e o Teatro do Anônimo – apresentarão seus métodos de trabalho para os participantes.

A celebração entre os brasileiros e estrangeiros terá seu clímax no primeiro sábado do Festlip, quando a festa, FestlipShow, contará com a apresentação de grupos e artistas dos países participantes.

Já o 00 Cozinha Contemporânea, na Gávea, terá um cardápio criado especialmente pelo chef Ray Cardoso inspirado na cultura e na culinária típica dos países de língua portuguesa. Durante todo o mês de julho, o menu estará disponível para os clientes da casa.

‘Um dos objetivos do festival é justamente tornar possível este diálogo entre as linguagens de trabalho em diferentes culturas, de tornar viável um encontro de irmãos de língua para uma comunicação sem fronteiras. Se a unificação do idioma é uma questão complexa, a unificação pelo teatro também é, mas vem se tornando realidade. Através das artes cênicas pode-se refletir sobre esta questão. A ideia é, inclusive, criar um banco de dados com os atores de língua portuguesa e, no futuro, dar origem a uma cooperativa de profissionais de teatro’, explica Tânia Pires.

O segundo Festlip conta com apoio das embaixadas de Angola, Moçambique, Cabo Verde, Portugal, Instituto Camões, Ministério da Cultura, Secretaria de Cultura do Município do Rio de Janeiro, Fundação Palmares, Funarte e CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.


Programação por dia – Festlip – Festival de Teatro da Língua Portuguesa - 2009

Toda a programação – com exceção da Mostra Gourmet – tem entrada franca, com distribuição de senhas até 30 minutos antes do início da sessão. No teatro Sesc Ginástico, as senhas serão distribuídas 60 minutos antes do início da sessão.

De 2 a 31 de julho:

Mostra Gourmet – O sabor da Língua Portuguesa
Restaurante 00 Cozinha Contemporânea – Pratos especialmente criados pelo chef do restaurante, Ray Cardoso, inspirado na cultura e culinária dos países participantes do Festlip.

2 de julho (quinta-feira)

Abertura oficial do FESTLIP

19h - Teatro Sesc Ginástico
Grupo Tijac, de Moçambique, com o espetáculo “Mar me Quer”, baseado na obra de Mia Couto. Apresentação para convidados.
Entrega do Troféu Festlip - 2009 em homenagem ao premiado escritor moçambicano Mia Couto.

3 de julho (sexta-feira)

19h – Teatro Sesc Ginástico – Palestra com Mia Couto: ‘Metamorfose da literatura para o teatro’

20h – Teatro Sesc Tijuca. Peça: ‘Sobreviver no Tarrafal’, com o Grupo de Teatro Horizonte Nzinga Bandi (Angola- Luanda)

21h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Peça: ‘Uma solidão demasiado ruidosa’, com a Cia Teatral Artistas Unidos (Portugal - Lisboa)

21h30 – Espaço Sesc – Mezanino. Peça: ‘Complexo sistema de enfraquecimento da sensibilidade’, com Cia de Teatro Antro Exposto (Brasil- São Paulo)

4 de julho (sábado)

19h – Teatro Sesc Ginástico. Peça: ‘Lindos dias’, com a Cia. Teatral Primeiros Sintomas (Portugal - Lisboa)

20h – Teatro Sesc Tijuca. Peça: Peça: ‘“Psycho’, com a Companhia de Teatro Solaris (Cabo Verde - Cidade de Mindelo)

21h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Peça: ‘Kimpa Vita - A Profetisa Ardente’, com o Grupo Elinga-Teatro (Angola - Luanda)

21h30 – Espaço Sesc – Mezanino. Peça: ‘O Homem ideal’, com o Grupo M'Bêu (Moçambique - Maputo)

23h – Palco na Lapa: FestlipShow

5 de julho (domingo)

19h – Teatro Sesc Ginástico. Peça: ‘Cortiços - Cia de Teatro Luna Lunera’ (Brasil – Belo Horizonte)

19h30 – Espaço Sesc – Teatro Arena. Peça: ‘No Inferno’, com o Grupo de Teatro do Centro Cultural Português de Mindelo (Cabo Verde – Cidade de Mindelo)

20h – Espaço Sesc – Mezanino. Peça: ‘Nó mama - Frutos da Mesma Arvore’, com o GTO
(Guiné Bissau - Bissau)

20h – Teatro Sesc Tijuca. Peça: ‘Mar me quer’, com o Grupo Teatral Tijac (Moçambique – Maputo com Ilha da Reunião)

6 de julho (segunda)

13h às 18h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Oficina teatral com diretor Miguel Seabra (Teatro Meridional - Portugal)

7 de julho (terça)

13h às 18h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Oficina teatral com diretor Miguel Seabra (Teatro Meridional - Portugal)

20h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Mesa ‘Encenação do Teatro da Língua Portuguesa’, com os diretores participantes e mediação de Tania Brandão

8 de julho (quarta)

13h às 18h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Oficina teatral com diretor Miguel Seabra (Teatro Meridional - Portugal)

19h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Vitrine do Teatro Carioca no Corredor Cultural da Lapa – Grupos condadados: Tá Na Rua, Teatro do Anônimo e Armazém Cia. de Teatro

9 de julho (quinta)

19h – Teatro Sesc Ginástico. Peça: ‘Cortiços, com a Cia de Teatro Luna Luneta (Brasil)

20h – Espaço Sesc – Mezanino. Peça: ‘Sobreviver no Tarrafal’, com o Grupo de Teatro Horizonte Nzinga Bamdi (Angola)

20h – Teatro Sesc Tijuca. Peça: ‘Psichou’, com a Companhia de Teatro Solaris (Cabo Verde)

21h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Peça: ‘No Inferno - Grupo de Teatro do Centro Cultural Português de Mindelo’ (Cabo Verde)

10 de julho (sexta)

19h – Teatro Sesc Ginástico. Peça: ‘Cortiços’, com a Cia de Teatro Luna Lunera (Brasil)

21h30 – Espaço Sesc – Mezanino. Peça: ‘O Homem ideal’, com o Grupo M'Bêu (Moçambique)

21h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Peça: ‘Uma solidão demasiado ruidosa’, com a Cia Teatral Artistas Unidos (Portugal)

20h – ‘Teatro Sesc Tijuca’. Peça: ‘Lindos dias’, com a Cia Teatral Primeiros Sintomas (Portugual)

11 de julho (sábado)

19h – Teatro Sesc Ginástico. Peça: : ‘Mar me quer’, com o Grupo Teatral Tijac (Moçambique – Maputo com Ilha da Reunião)

21h30 – Espaço Sesc – Mezanino. Peça: ‘Complexo sistema de enfraquecimento da sensibilidade’, com a Cia de Teatro Antro Exposto (Brasil)

21h – Espaço Sesc – Teatro Arena. Peça: ‘No Inferno’, com o Grupo de Teatro do Centro Cultural Português de Mindelo (Cabo Verde)

20h – Teatro Sesc Tijuca. Peça: ‘O Homem ideal’, com o Grupo M'Bêu (Moçambique)

23h – Lapa – FESTLIPShow

12 de julho (domingo)

19h – Teatro Sesc Ginástico. Peça: ‘Lindos dias’, com a Cia Teatral Primeiros Sintomas (Portugal)

20h – Espaço Sesc – Mezanino. Peça: ‘Nó mama - Frutos da mesma árvore’, com o CTO (Guiné-Bissau)

19h30 – Espaço Sesc - Teatro Arena. Peça: ‘Kimpa Vita - A profetisa ardente’, com o Grupo Elinga-Teatro (Angola)

20h – Teatro Sesc Tijuca. Peça: ‘Uma solidão demasiado ruidosa’, com a Cia Teatral Artistas Unidos (Portugal)

22h – Espaço Sesc – Mezanino: Cerimônia de encerramento - entrega do Prêmio Festlip 2009 de espetáculo revelação



Grupos teatrais participantes na programação do FESTLIP:

Portugal:

Companhia Teatral Primeiros Sintomas
Espetáculo: “Lindos Dias”, com texto de Miguel Castro Caldas e direção de Bruno Bravo.

Companhia Teatral Artistas Unidos
Espetáculo: “Uma Solidão Demasiado Ruidosa”, com texto de Bohimil Hrabal e
Direção de Antônio Simão.

Moçambique:

Grupo M'BEU
Espetáculo: “O Homem Ideal”, com texto e direção de Evaristo Abreu.

Grupo Tijac:
Espetáculo: “Mar Me Quer”, de Mia Couto com direção de Mickael Fontaine.

Angola:

Grupo Elinga Teatro
Espetáculo: “Kimpa Vita: A Profetiza Ardente”, com texto e direção de José Mena Abrantes.

Grupo Horizonte Nzinga Bandi
Espetáculo: “Sobreviver No Tarrafal”, com de texto Antônio Jacinto e direção de Adelino Caracol .

Guiné Bissau:
Grupo Teatro do Oprimido – Bissau GTO
Espetáculo: “Nó Mama – Frutos da Mesma Árvore”

Brasil:

Cia. Luna Lunera – Belo Horizonte

Espetáculo: “Cortiços”, concepção Cia. Luna Lunera e Tuca Pinheiro e direção de Tuca Pinheiro.

Cia. De Teatro Antroexposto – São Paulo

Espetáculo: “Complexo Sistema de Enfraquecimento as Sensibilidade”, com texto de direção de Ruy Filho

Cabo Verde:

Grupo de Teatro do Centro Cultural Português de Mindelo
Espetáculo: “No Inferno”, com texto e direção de João Branco

Eventos paralelos:

04 de julho (sábado)
FestlipShow

22h – Palco na Lapa
Festa musical com apresentações de músicos brasileiros e internacionais (todos os países participantes). Entrada franca.

4 de julho
Programação a confirmar

6 a 8 de julho (segunda a quarta)
Oficina Teatral:
Com o diretor português Miguel Seabra, do grupo teatral Meridional, direcionada aos atores participantes do Festlip e para estudantes de teatro como ouvintes, com entrada franca (distribuição de senhas).

7 de Julho:
20h – Espaço Sesc Arena
Mesa de debates – ‘Encenação do Teatro da Língua Portuguesa’
A mesa será composta pelos diretores dos grupos teatrais participantes do Festlip, com mediação de Tania Brandão.

8 de Julho:
19h – Espaço Sesc Arena
Vitrine Carioca do Teatro do Corredor Cultural da Lapa
Exposição do trabalho realizado por três grupos teatrais cariocas, Tá Na Rua, Cia. dos Atores e Teatro de Anônimo, através dos seus diretores: Amir Haddad, Enrique Diaz e João Carlos Artigos. Participação dos atores das companhias.

Comments

kanimambo said…
Os mesus sinceros parabéns a Tania Pires, fundadora do FESTLIP. Pelo seu trabalho e principalmente pela iniciativa de atraves da cultura unir os paises da lingua Portuguesa. Desejo o maior sucesso, neste e em todos os eventos que daqui para a frente e espero que inumeros, se venham a realizar. Saliento o facto e estou muito sensibilizada, de ela ter tomado esta iniciativa a partir de uma ida ao meu país (Moçambique)e agradeço tambem pela homenagem a um dos melhores e maiores escritores Africanos , o nosso Mia Couto. Kanimambo Tania Pires
Francilia Braga

Popular Posts