Sociedade secreta de artistas retratada em "Sentido Portátil", no CCB






A peça "Sentido Portátil", baseada num texto do escritor espanhol Enrique Vila-Matas que retrata uma sociedade secreta de artistas, estreia-se a 21 de Fevereiro no Centro Cultural de Belém (CCB), com encenação de Carla Bolito.

O texto é uma adaptação da autoria de Carla Bolito e Ricardo Faria de "História Abreviada da Literatura Portátil", de Enrique Vila-Matas, cuja presença está prevista na estreia, às 21:00.

No elenco desta produção da JumpCut estão Diogo Bento, Rita Calçada Bastos e Tiago Mateus, a cenografia é de Henrique Ralheta, os figurinos de Rafaela Mapril e o design gráfico de João Pedro Lomelito.

Em "História Abreviada da Literatura Portátil", o escritor apresenta o retrato de uma sociedade secreta, os "shandys" - também conhecidos por artistas portáteis -, onde só poderiam entrar os criadores que possuíssem uma obra que não fosse pesada e que coubesse facilmente numa maleta.

O perfil dos "shandys" passava ainda por terem "espírito inovador, sexualidade extrema, ausência de propósitos, nomadismo infatigável, tensa convivência com a figura do duplo, simpatia pela negritude e o culto da arte da insolência", traça a obra de Vila-Matas.

Em "Sentido Portátil" são apresentadas diferentes versões dos acontecimentos do livro, através da utilização de objectos que escondem e revelam possibilidades, permitindo a reconfiguração desse espaço em palco.

"Sentido Portátil", que tem co-produção do CCB, estará na Sala de Ensaio nos dias 21, 23 e 24 de Fevereiro às 21:00, e no dia 22 de Fevereiro às 19:00.

Ainda no dia 21 de Fevereiro, no âmbito da estreia da peça, está previsto um encontro com Enrique Vila-Matas aberto ao público pelas 18:30, na Sala de Leitura do CCB, para falar sobre a sua obra.
in JN

Comments

Popular Posts