Wednesday, February 11, 2009

“A Partir Do Adolescente Míope”, no Viriato






“A PARTIR DO ADOLESCENTE MÍOPE”, dias 12 e 13 Fevereiro
Criação e interpretação Graeme Pulleyn e Romulus Neagu
Música interpretada ao vivo Luís Pedro Madeira
Estreia absoluta

Dois artistas que se fixaram em Viseu, fruto da sinergia criada pela Companhia Paulo Ribeiro e Teatro Viriato, juntam-se em palco para criar uma peça, que cruza o teatro e a dança. Nesta viagem contam ainda com a companhia do músico Luís Pedro Madeira que interpreta ao vivo os sons desta aventura. Tudo à volta de livros e adolescências revividas, depois de um encontro com a obra O Romance do Adolescente Míope, o primeiro romance literário que Mircea Elíade escreveu apenas com 17 anos.

A partir do adolescente míope tem estreia absoluta marcada para os dias 12 e 13 de Fevereiro no Teatro Viriato, com sessões para público escolar e geral. Para a comunidade escolar é proposto ainda um workshop que gira em torno do espectáculo e que decorrerá nos dias 16 e 17 de Fevereiro. Uma co-produção do Teatro Viriato e Companhia Paulo Ribeiro.

A essência de A partir do adolescente míope talvez resida num imenso e pleno encontro… ou melhor numa sucessão de encontros e reencontros, que podiam ter acontecido num sótão. Um (re)encontro de Romulus Neagu com o legado do escritor romeno Mircea Eliade. Um encontro de Romulus Neagu com Graeme Pulleyn e Luís Pedro Madeira. Um encontro dos criadores com o livro O Romance do adolescente míope. Um (re)encontro com as adolescências vividas. Um encontro das próprias adolescências dos criadores com a de Mircea Eliade, e, destas com as do público. Um encontro do movimento com o teatro e a música.

Um amplo encontro transformado em cenas episódicas, inspiradas numa narrativa que despoleta outras narrativas, descritas na primeira pessoa. Do movimento ao texto, os criadores e intérpretes desta viagem foram-se encontrando em novos territórios, fossem eles o próprio processo de criação ou o confronto com um passado que se torna presente.

Criado a partir de O romance do adolescente míope, escrito por Mircea Eliade quando tinha apenas 17 anos, em 1924, A partir do adolescente míope é um convite a mergulhar num mundo próximo e reconhecível. E esse mergulho pode resultar num fortuito regresso ao passado feito das festas de garagem, do primeiro beijo, da primeira namorada ou namorado, da descoberta do corpo, da felicidade e confusão da adolescência. Ou pode ser um mergulho que resulta num encontro com a realidade que à frente dos olhos dos adolescentes se torna ficção.

O espectáculo constrói-se em volta da misteriosa relação entre o ser humano e o livro, o acto de escrever, o prazer de ler, a obrigação de estudar. Concentra-se sobretudo, porém, na necessidade de cada um de procurar a sua voz, descobrir o que é que precisa de dizer e como consegue dizê-lo. Para uns será pelos livros, para outros a dança, o teatro, a música, a ciência, ou o desporto. Certo é que sendo uma descoberta da adolescência, dura uma vida inteira.
Num espaço cénico intimista, acolhedor e solitário, os três intérpretes olham e revivem as suas próprias adolescências com base no encontro entre a reflexão pessoal e a (re)descoberta desta extraordinária obra literária. Além das referências literárias a Mircea Eliade, na peça são também citados textos de Clarice Lispector, Wilfred Owen e Sylvanus Stall.

Uma viagem entre a realidade e a ficção, entre o passado e o presente, entre a dança, o teatro e a música. Uma viagem à volta de um texto escrito por um homem, pontuado pelas histórias adolescentes de dois homens e que despoletou a música de um terceiro homem.

Romulus Neagu, Graeme Pulleyn e Luís Pedro Madeira sobre “A partir do adolescente míope”:

Trabalhar um texto dramático e transformá-lo num espectáculo foi o desafio principal deste projecto. Assim como o foi também convidar dois artistas para partilharem comigo esta criação. Desde o princípio foi interessante juntar três pessoas com, aproximadamente, a mesma faixa etária, e que já ultrapassaram as suas adolescências, reviverem esses períodos das suas vidas, sempre a partir da mesma leitura, em português.

Quando li O Romance do adolescente míope tinha 17 anos. E, desde logo, identifiquei-me imenso com as personagens e com os lugares descritos. Por exemplo, o parque Cismigiu onde ia todos os dias para andar de barco, ler ou ver cinema faz parte da minha adolescência. Já o Luís Pedro Madeira diz que sempre foi o homem da música. Todos gostavam dele porque tocava nas festas, mas nunca tinha namorada. Foi muito interessante ver o encontro de cada um com o livro e a forma como se iam identificando com o texto.
Romulus Neagu

Esta obra faz ecos em qualquer cultura. Consegue ser única. Mas o maior desafio que senti foi o de me confrontar com uma forma de trabalho que não é a minha. Neste processo de criação não vivi a relação convencional que costumo ter com o texto. Revelou-se um território novo porque começámos pelo movimento e só depois é que o texto foi entrando, mas sem uma narrativa linear, mas sim como uma coisa episódica.
Graeme Pulleyn

Para mim o desafio maior foi o de criar o espectáculo conjuntamente com o Romulus e o Graeme. A fluidez do processo foi impressionante! Foi engraçado ver como três pessoas, com três adolescências distintas têm imensos pontos de união quer com o autor, quer entre elas.

Por outro lado, é muito interessante criar uma partitura à medida que o movimento vai sendo criado. Não é habitual. Esta partitura é, simultaneamente, baseada no livro, na nossa adolescência e no espectáculo. A partir do adolescente míope é um espectáculo em sol menor.
Luís Pedro Madeira


Criação, espaço cénico e interpretação Graeme Pulleyb e Romulus Neagu Música interpretada ao vivo Luís Pedro Madeira Desenho de luzes Cristóvão Cunha Co-produção Teatro Viriato e Companhia Paulo Ribeiro

“A PARTIR DO ADOLESCENTE MÍOPE”, dias 12 e 13 Fevereiro
Criação e interpretação Graeme Pulleyn e Romulus Neagu
Música interpretada ao vivo Luís Pedro Madeira
Qui 15h00 e sex 11h00 Público-alvo Ensino Secundário
Preço 2,5€
Sex 21h30 Todos os públicos
Preços: A (5€ a 10€) / Jovem 5 €
50 min. aprox.
www.teatroviriato.com

No comments: