Tuesday, January 6, 2009

"Fragments", de Peter Brook, revela personagens de Beckett no Teatro Viriato em Viseu







O espectáculo "Fragments", com encenação de Peter Brook, é o grande destaque da programação do Teatro Viriato, de Viseu, para o primeiro trimestre de 2009, hoje apresentada. Para os primeiros meses do ano em que assinala uma década de programação regular, o Teatro Viriato apostou na presença de companhias internacionais e também em parcerias com estruturas locais e nacionais.

O director-geral e de programação do Teatro Viriato, Paulo Ribeiro, considerou "Fragments", que sobe a palco a 16 e 17 de Março, um dos "espectáculos incontornáveis" deste trimestre, que representa um marco desta década.

Em "Fragments", o inglês Peter Brook, considerado um dos melhores encenadores do século XX, trabalhou com quatro peças e um poema de Samuel Beckett, revelando "uma galeria de personagens em contextos inusitados e repletas de contradições".

"Vem a companhia dele. Estamos a tentar que o senhor também venha a Portugal mas é complicado, porque já tem uma idade avançada", explicou Paulo Ribeiro, considerando que "Peter Brook estar em Viseu é quase como Deus descer à terra".

Segundo Paulo Ribeiro, dias antes, em parceria com o Cine Clube de Viseu, será apresentado o filme "Brook by Brook", uma oportunidade para conhecer melhor o encenador através de uma entrevista feita pelo seu filho, Simon Brook.

Paulo Ribeiro destacou também "uma pequena homenagem" ao Teatro de Marionetas do Porto, que em Fevereiro apresenta um ciclo de três espectáculos: "Como um carrossel à volta do sol", "Miséria" e "Teatro Dom Roberto".

A "Grande Festa" de abertura para 2009 acontecerá a 24 de Janeiro, com uma noite de música com Tito Paris e O'queStrada, e no mesmo dia será também aberta a exposição de fotografia "Memória(s)", de José Alfredo, sobre momentos passados no palco do Teatro Viriato.

No final de Janeiro há ainda a destacar o regresso da companhia belga "Laika", para apresentar a sua mais recente produção, "Me Gusta", desafiando o público a preparar o paladar para apreciar sabores exóticos.

Atendendo a que, actualmente, já vive em Viseu "uma série de artistas e o teatro tem um papel fundamental na forma como os pode apoiar nas suas criações e ajudar a crescer enquanto criadores", Paulo Ribeiro explicou que, "a partir de 2009, há mesmo uma parte do projecto que contempla artistas associados ao teatro".

Deu o exemplo de Graeme Pulleyn e Romulus Neagu, que estreiam "A partir do adolescente míope" a 12 e 13 de Fevereiro.

Workshops abertos à população
Paulo Ribeiro disse que a forma como o Teatro Viriato se abre à cidade será também "mais consequente", uma vez que "todos os grupos e companhias que passam por Viseu, os seus artistas, sendo pessoas de grande conhecimento e capacidades, serão sempre desafiados para desenvolverem workshops", abertos à população e aos profissionais.

Referiu ainda que o "foyer" do teatro, "que em termos técnicos é um espaço banal", vai ter "uma actividade fortíssima", com "músicos de alto gabarito como Carlos Zíngaro e José Salgueiro, músicos confirmadíssimos, de renome internacional, que se prestam a vir tocar num espaço como este e músicos emergentes".

O Teatro Viriato iniciou também uma parceria com o Jazz ao Centro Clube, de Coimbra, "que se vai estender ao longo de todo o ano".

"No fundo, a partir de 2009 afirmamos esta nossa vocação de um espaço festivo, de pensamento e de descoberta", sublinhou.
in Lusa

No comments: