"PTOLOMEU A SUA VIAGEM DE CIRCUM-NAVEGAÇÃO" pelo TEATRO ART’ IMAGEM






"PTOLOMEU A SUA VIAGEM DE CIRCUM-NAVEGAÇÃO"

Ptolomeu Rodrigues é um marinheiro cabo-verdiano que celebra a epopeia secular do seu povo, evadindo-se da sua ilha, ainda muito novo. Navega por todos os mares do mundo e convive com galdérias e prostitutas, malandros, candongueiros e chulos, marinheiros e outras gentes do mar. Define-se como "um preto bem vestido" e está sempre pronto a "mostrar o seu orgulho de macho, bem apetrechado" Acompanhamo-lo então por Roterdão onde convive com os seus compatriotas emigrados, viaja de barco entre a Holanda e a Irlanda, onde encontra duas militantes revolucionáras da ETA e do IRA, estamos num bordel do Ferrol, na Espanha de Franco "um fascista que nem ao menino jesus interessa", atravessamos as ruas geladas de Vladivostoque, na Sibéria, então a Guantânamo soviética, onde o nosso herói é preso e torturado depois de ter feito amor, ao mesmo tempo, com três "meninas" russas, acontecendo-lho "uma erecção jamais vista". Enviado sob escolta para Berlim Oriental, aí é salvo pelos obreiros da independência da sua terra, antes "colónia dos fascistas tugas". Vai ainda dançar o tango a Buenos Aires numa Argentina sob o poder dos generais e finalmente chega à Baía de Todos os Santos, em São Salvador, onde se apaixona...

Interpretada em tom de comédia, esta é uma peça de teatro em que os actores, num ecléctico e multifacetado jogo de personagens e utilizando um linguagem crua e descomplexada, nos vão contando, às vezes com uma boa dose de cinismo, histórias deste aventureiro dos sete mares que, aparentemente, só nos fala e de uma forma despudorada, das suas picarescas proezas sexuais.
Porém, as aparências (e o Teatro) iludem, porque a peça é, afinal, uma bela história de vida que nos fala de um grande amor perdido e de uma nova amizade conquistada. Ptolomeu aprendeu muito por esse mundo fora e dá-nos a conhecer episódios e acontecimentos políticos e sociais de que é testemunha.
É por isso que o Teatro é um lugar de futuro, nele se encontra, também, a memória dos homens.


autor Tchalê Figueira dramaturgia e encenação José Leitão interpretação Flávio Hamilton e Valdemar Santos direcção de movimento e sonoplastia Tilike Coelho direcção plástica e cartaz Fátima Maio espaço cénico José Leitão, Fátima Maio e José Lopes desenho de luz Leunam Ordep

execução cenográfica José Lopes operação técnica Ricardo Santos design gráfico Caderno fotografia Marcos Araújo vídeo Miguel Ruben produção executiva Claúdia Silva assistente de produção Carina Moutinho direcção de produção Jorge Mendo direcção artística Teatro Art’ Imagem José Leitão

classificação etária: M/ 16 anos
duração aproximada: 100 m

Estreia mundial a 13 de Setembro no Mindelact, Cabo Verde.
Ante-estreia nacional a 12 Outubro 2008 no Festival Internacional Teatro Cómico da Maia.

Classificação etária: Maiores de 16 anos.
Temporada de 18 a 30 Outubro no Teatro do Campo Alegre (de terça a sábado às 21:30 e domingo às 16:00).
preço do bilhete: 5,00
bilheteira: 22 606 30 00

Comments

Popular Posts