Nova temporada do Teatro Viriato

Arranca a 14 de Setembro com a estreia de "Masculine"


Marco D’ Almeida, Nuno Lopes, Manuel João Vieira, Maria João Luís, Leonor Keil, Paulo Ribeiro, Bernardo Sassetti, Beatriz Batarda e Mário Laginha são apenas alguns dos intérpretes que vão passar pelo Teatro Viriato nos próximos quatro meses. Este palco receberá produções de excepção como The pillowman, Stabat Mater, o projecto musical Sal, Ego Skin, Caruma, Malgré Nous, Nous Étions Là, A Viagem, Grândolas, Senhora D e João. Caberá a Masculine, a mais recente criação de Paulo Ribeiro abrir, em estreia nacional, a nova temporada do Teatro Viriato.


Equilibrada é, talvez, um dos adjectivos que se pode usar para descrever a nova programação do Teatro Viriato, que contempla não apenas o teatro, música e dança, mas também as artes plásticas. O Teatro Viriato associa-se à António Henriques Galeria de Arte Contemporânea na realização da exposição Antimonumentos, comissariada por Miguel von Hafe Pérez e que conta com a participação de 37 artistas plásticos portugueses, desafiados para conceber obras sob o conceito de antimonumento. Durante um mês, a exposição estará patente no Teatro Viriato e na própria António Henriques Galeria de Arte Contemporânea.

No âmbito do Sentido Criativo, uma das novidades é a criação de uma nova visita guiada ao espaço do Teatro Viriato. Estas visitas de sensibilização procuram despertar o espírito de descoberta, de aprendizagem e de interpretação e apelar aos sentidos, na interacção com os espaços e as memórias do Teatro. “O Arco-Íris no Teatro” é o nome da nova visita de descoberta, destinada ao público pré-escolar (dos 3 aos 6 anos).

O Teatro Viriato lança-se ainda em mais uma iniciativa vocacionada para as escolas, retomando um projecto idealizado por Paulo Ribeiro e concretizado na década de 90, em Lisboa. A sua primeira edição foi apoiada pela Fundação Calouste Gulbenkian/ACARTE, em Junho de 1990 e a segunda edição decorreu em 1992, por ocasião da Exposição de Sevilha. O projecto do Teatro Viriato, que pretende envolver a comunidade escolar num trabalho artístico, vai ser desenvolvido no ano lectivo 2007/2008, conjugando várias áreas do conhecimento e promovendo a transdisciplinaridade. A partir de um tema curricular, a actriz/encenadora, Rafaela Santos e o bailarino/coreógrafo, Romulus Neagu vão trabalhar, respectivamente, uma turma do 6º ano, da Escola Infante D. Henrique e uma turma do 12º ano da Escola Secundária Emídio Navarro, nas áreas do teatro e da dança. Estes trabalhos, que contam com a participação de quatro intérpretes profissionais, serão cruzados numa apresentação final que deverá estrear a 1 de Maio, no Teatro Viriato. Trata-se de uma co-produção da Companhia Paulo Ribeiro e do Teatro Viriato.

Já a temporada no Teatro Viriato abre com uma estreia nacional. Uma semana depois da apresentação em Biarritz (França), Masculine estreia nos palcos portugueses. Viseu recebe assim a mais recente criação do coreógrafo, Paulo Ribeiro que conta com os intérpretes Miguel Borges, Peter Michael Dietz, Romeu Runa e Romulus Neagu, um quarteto de excelência a marcar a rentrée do Teatro Viriato.

Ainda em Setembro sobe ao palco do Viriato, The Pillowman, uma peça que marca a estreia de Tiago Guedes (realizador de Coisa Ruim) no teatro e que reúne um elenco de luxo, conhecido do pequeno ecrã.

Já em Outubro, o palco do Teatro Viriato recebe o carismático, Manuel João Vieira e a sua banda, os Ena Pá 2000. Um concerto irreverente e provocante, tal como o grupo habituou o público ao longo dos mais de 20 anos de carreira.

Nesta programação destaque ainda para Stabat Mater, de António Tarantino, é mais uma produção com a marca dos Artistas Unidos. A interpretação de Maria João Luís nesta peça valeu-lhe o prémio da Associação de Críticos de Teatro.

Na música, as atenções estarão ainda viradas para o projecto musical Sal. José Peixoto e Fernando Júdice, músicos dos Madredeus, aproveitaram a pausa do grupo português e passaram mais uma vez do desejo à música. Sal é o nome do novo projecto musical, e primeiro disco, que junta estes músicos à intérprete, Ana Sofia Varela e ao percussionista, Vicky. Este é um concerto que cruza a música de raiz ibérica com a dimensão atlântica do percurso lusófono.

De volta à dança, Amélia Bentes e Ludger Lamers apresentam Ego Skin. Explorar o conceito de ego enquanto “imagem de si mesmo” é o objectivo do projecto, cujo produto final se pretende que seja uma viagem de tripla-perspectiva sobre o mesmo tema.

Caruma, com música ao vivo, é um projecto de arte comunitária, coreografado por Madalena Victorino que pretende juntar em palco pessoas da comunidade viseense, desde bebés de colo a idosos, bailarinos e músicos profissionais.

Um ano depois da estreia em Viseu, Malgré Nous, Nous Étions là regressa ao Viriato. A alegria de viver é uma das características mais marcantes do dueto de dança de Paulo Ribeiro e Leonor Keil, a par da ironia e humor, duas das marcas do trabalho do coreógrafo.

Na poesia, Sophia de Mello Breyner dá início a uma Viagem protagonizada por Bernardo Sassetti e Beatriz Batarda. Ao protagonismo das palavras ditas por Beatriz Batarda, juntam-se as notas e as sequências de um piano – que pretende acompanhar esta viagem sem nunca se impor perante a narração.

Na noite seguinte é a vez de Grândolas, um projecto de Bernardo Sassetti e de Mário Laginha, dois dos mais importantes pianistas e compositores da cena jazzística portuguesa. O concerto inclui, para além de composições originais de Sassetti e de laginha, recriações de temas conhecidos de José Afonso.

De volta ao teatro, a partir da obra A obscena senhora D, de Hilda Hilst, Ana Varela e Carlos Martins sobem ao palco com Senhora D. Após a morte do seu companheiro, Hillé, a Senhora D, uma mulher de 60 anos, muda-se para o vão de escadas da sua casa. Em desamparo refugia-se no seu mundo interior.

Simplesmente João encerra este último quadrimestre de 2007. João é o mais recente trabalho de Maria João, lançado em Abril deste ano e que a intérprete apresenta em Dezembro no Teatro Viriato. Este trabalho inclui 14 temas saídos do cancioneiro popular brasileiro.

Comments

Popular Posts