Sonhos em Vila Nova de Santo André


SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO
A MIDSUMMER NIGHT'S DREAM de William Shakespeare
Vila Nova de Santo André
Largo do Mercado
20, 21 e 22 de Julho 21h30
Produção Footsbarn Theatre
bilhetes 5€ espectáculo
10€ com transporte de Lisboa


O TNDM II disponibiliza transporte para “Sonho de Uma Noite de Verão”, em Vila Nova de Santo André.
Por apenas 10€ os espectadores poderão adquirir um bilhete para o espectáculo que inclui viagem de ida e volta.
O ponto de encontro nos dias 20, 21 e 22 de Julho será no Rossio, em frente ao TNDM II, às 18h00.

O Teatro Nacional D. Maria II apresenta, em colaboração com a AJAGATO, “Sonho de uma Noite de Verão”, o clássico de William Shakespeare revisto pelo Footsbarn Travelling Theatre. Em Vila Nova de Santo André, no litoral Alentejano, os Footsbarn vão montar a sua tenda, com capacidade para 400 pessoas, e apresentar “Sonho de uma Noite de Verão” nos dias 20,21 e 22 de Julho. A companhia britânica é reconhecida nos circuitos internacionais por recorrer a formas teatrais populares (inclusivamente à linguagem circense e à mímica). Há 25 anos, na altura em que se estrearam entre nós, a sua presença obteve grande impacto junto ao público e à crítica. Com uma linguagem simultaneamente acessível e rica, os Footsbarn abordam o público de forma simples, sem perder a complexidade dos textos sobre os quais decidem trabalhar. Neste caso, uma peça de William Shakespeare, que integra o repertório da companhia vários anos e que agora foi remontada, fazendo a sua estreia em França no passado dia 4 de Julho.

encenação Patrick Hayter
cenografia e máscaras Fredericka Hayter
figurinos Hannah Sjodin
música Steve Johnston
desenho de luz Bruno Hocquard
fotografia Sophie Lascelles

com
Joey Cunningham Vincent Gracieux Paddy Hayter Caroline Piette Muriel Piquart Mas Soegeng Akemi Yamauchi

músicos
Chandran Veyattummal Pawel Paluch

Sinopse
Hérmia está apaixonada por Lisandro mas o pai quer fazê-la casar-se com Demétrio. Os dois amantes decidem fugir, mas Helena – que ama Demétrio – revela-lhe o plano, na expectativa de o conquistar. Os quatro jovens embrenham-se no bosque, onde os esperam aventuras tão inesperadas quanto inesquecíveis.
Entretanto, uma trupe de actores ensaia a peça “A Tragédia de Píramo e Tisbe” para o casamento de Teseu, Duque de Atenas, e Hipólita, a rainha das Amazonas. Dois convidados ilustres para a boda – Oberon, rei das fadas, e a sua rainha, Titania – chegam ao mesmo bosque, mas estão desavindos: a rainha recusa-se a entregar o seu pajem para servir o marido e este decide castigá-la, fazendo-a apaixonar-se por... um burro.
Depois de uma sequência de enganos cómicos, a acção de “Sonho de uma Noite de Verão” termina com três casamentos, para contentamento de todos.

O AUTOR: WILLIAM SHAKESPEARE
Pouco ficou documentado sobre a vida de Shakespeare, mas acredita-se que terá nascido em 1564, em Stratford-on-Avon, no seio de uma família de comerciantes. Apesar de não ter chegado a ir à Universidade, frequentou a escola. Em 1582, com apenas 18 anos, casou-se com Anne Hathaway, oito anos mais velha, e desse casamento nasceram três filhos: Susanna (1582) e os gémeos Judith e Hamnet (1586). Entre 1586 e 1592, a vida de Shakespeare passou por um período menos claro. É possível que tenha deixado a terra natal e a família, para se juntar a uma trupe de actores em digressão, embora haja quem defenda que, durante esse tempo, tenha trabalhado como preceptor ou mestre-escola. Certo é que, em 1592, já era conhecido nos teatros londrinos, como autor.
Em 1594, tornava-se sócio da companhia de Lord Chamberlain’s Men e dividia-se entre os palcos e a pena. Em 1598, perante a ameaça de fecho do teatro (por parte do senhorio), a companhia mudou-se para a zona sul do rio Tamisa e aí construiu um novo teatro, baptizando-o como The Globe e adquirindo o patrocínio real.
Em 1613, porém, o Globe foi destruído pelo fogo e Shakespeare – que perdera o ascendente no panorama teatral londrino – retirou-se, passando os seus últimos anos em Stratford. Morreu em 1616.
Entre as suas peças mais conhecidas contam-se “A Midsummer Night’s Dream”, “The Merchant of Venice”, “Romeo and Juliet”, “Richard III”, “Much Ado About Nothing”, “Hamlet”, “Othello” ou “Coriolanus”.

O ENCENADOR: PATRICK HAYTER
Nasceu em 1952, em Londres, filho do actor e encenador Richard Hayter. Estudou Zoologia, Botânica e Geologia, mas um atelier de teatro fê-lo abandonar o projecto de se tornar veterinário para abraçar a vida teatral. Em 1968, juntava-se ao Repertory Company de Londres, onde trabalhou como assistente de encenação, e, no ano seguinte, estava na companhia The Orchard Theatre, da qual se tornou director técnico ao mesmo tempo que interpretava pequenos papéis. Em 1969, partiu para a Escola Jacques Lecoq, em Paris, onde, durante dois anos e graças a uma bolsa de estudos paga pelo governo inglês, pôde aprofundar a sua formação teatral, até então feita essencialmente da prática. Depois de França, partiu para Berlim, na Alemanha, onde trabalhou com o mítico Bread an Puppet Theatre. Em 1973, de regresso a Inglaterra, integrou o Footsbarn Travelling Theatre, onde actualmente desempenha funções de actor, encenador e co-manager.

A COMPANHIA: FOOTSBARN TRAVELLING THEATRE
O Footsbarn Travelling Theatre foi fundado em 1971, na Cornualha, por Oliver Foot e Jean Paul Cook e deve o seu nome ao primeiro local de ensaios da companhia – o celeiro da família Foot. Inicialmente, a trupe apresentava-se essencialmente em praças públicas, com o objectivo de levar o teatro até um público carenciado de oferta cultural. A sua estética era o mais simples possível: importava fazer espectáculos que contassem histórias e suscitassem emoções de forma divertida e acessível. Dez anos passados sobre a sua fundação, o grupo foi crescendo e, considerando que a sua missão estava cumprida no que diz respeito à Cornualha, fez-se à estrada. Rapidamente, tornou-se uma referência no circuito das artes performativas e começou a ser requisitado para grandes festivais internacionais na Holanda, Alemanha, Irlanda, País de Gales, Inglaterra ou França – onde se apresentou, inclusivamente, no prestigiado Festival de Avignon.
Actualmente sediado em França, o Footsbarn Theatre integra elementos de oito nacionalidades distintas e inclui, na sua equipa de trabalho, actores, técnicos, cozinheiros, uma costureira, administradores, um assessor de imprensa, um fotógrafo, mecânicos e dois professores encarregados de instrução das crianças. O seu objectivo é o de sempre: fazer teatro como se fazia na Idade Média, conseguindo a maior proximidade possível com as mais diversas plateias.

Duração 2 horas sem intervaloLíngua Inglês (sem legendagem)

Comments

Popular Posts