Novo retrato é considerado o único de Shakespeare pintado durante a sua vida






Será Alec Cobbe, restaurador de arte, a declarar a autenticidade do quadro, apoiado na sua declaração por Stanley Wells, professor jubilado de Estudos sobre Shakespeare da Universidade de Birmingham e editor, há trinta anos, da série Oxford Shakespeare.

Wells e Cobbe negaram-se a divulgar mais pormenores, mas segundo a edição online do jornal britânico "The Times", comprometeram-se a divulgar, brevemente, provas fortes de que o retrato é de Shakespeare e foi pintado quando o escritor tinha 46 anos de idade, seis anos antes da sua morte.

Os dois estudiosos vão também declarar que o retrato pertenceu, inicialmente ao terceiro Conde de Southampton, que foi patrono de Shakespeare. O conde poderá ser "fair youth", um jovem sem nome a quem se dirigem alguns sonetos de Shakespeare.

O retrato está na posse da família Cobbe desde o século XVIII e actualmente encontra-se em Hatchlands, a casa da família em Surrey.

Em 2006, Alec Cobbe foi a uma exposição da National Portrait Gallery, "À Procura de Shakespeare", uma mostra de retratos que, ao longo dos anos, foram sugeridos como sendo de Shakespeare. Ficou espantado ao reparar que um dos retratos expostos era praticamente idêntico ao retrato que tinha em Hatchlands.

Cobbe levou o seu retrato à National Portrait Gallery para ser comparado. Desde então, o restaurador submeteu a pintura a uma série de testes para confirmar se o retrato seria verdadeiro ou se tinha sofrido alterações desde a sua composição.

Durante três séculos a família Cobbe não tinha a certeza da identidade da figura retratada neste quadro.

O retrato é muito semelhante às outras duas únicas imagens do dramaturgo que se aceita terem sido feitas por pessoas que o conheceram em vida - um busto realizado pouco depois da sua morte que está na igreja da Santíssima Trindade em Stratford-upon-Avon, onde Shakespeare foi sepultado, e uma gravura em cobre datada de 1623, inserida na primeira página do seu "Primeiro Fólio" (First Folio), volume que reuniu a obra de Shakespeare e foi publicado postumamente em 1623.

Ao longo dos séculos, vários retratos foram apresentados como sendo de Shakespeare, mas alguns foram entretanto dados como falsos e de nenhum se provou pertencer ao dramaturgo e ter sido, de facto, pintado durante a sua vida.
In Público

Comments

Popular Posts