Viriato emaranhado no PANOS

Festival PANOS – Teatro Viriato
De 23 a 25 de Maio

Pela primeira vez, o Teatro Viriato promove o Festival PANOS – Teatro Viriato. Esta é uma das novidades da terceira edição do PANOS - palcos novos palavras novas, projecto da Culturgest que alia o teatro escolar/juvenil às novas dramaturgias, inspirando-se no programa NT Connections do National Theatre de Londres. Todos os anos, há peças novas escritas de propósito para serem representadas por grupos escolares ou de teatro juvenil.

Nesta edição são quatro os autores: há dois novos textos portugueses, de Luísa Costa Gomes (A Vida em Vénus) e Patrícia Portela (Escudos Humanos); foi traduzida a peça que Dennis Kelly escreveu para o Connections do ano passado (Ácido Desoxirribonucleico); e foi ainda aproveitado um texto de Letizia Russo, escrito para o Connections 2004 (Fim de Linha).

Neste festival do Teatro Viriato apresentam-se cinco dos grupos participantes no projecto da Culturgest: Grupo de Jovens do Teatro Viriato, Na Xina Lua (Tondela), Escola Secundária Almeida Garrett (Vila Nova de Gaia), Grupo de Teatro Persona da Escola Secundária 3 (Moimenta da Beira) e Escola de Teatro da Arte Viva - Companhia de Teatro do Barreiro que levam à cena as diferentes dramaturgias. Além dos espectáculos haverá uma conversa entre encenadores e participantes PANOS, intitulada “O que vale um homem que não sabe lutar? O que vale um cínico sem contrapropostas? Eu acredito num caminho melhor” (Lenny Kravitz). Segue abaixo o programa, sinopses e fichas artísticas/técnicas de cada espectáculo.

//Programa
23 sex
15h30
“Escudos Humanos”
De Patrícia Portela
Pelo Grupo do Teatro Viriato
Público-Alvo Ensino Secundário
Local: Teatro Viriato

21h30
“Fim de Linha”
De Letizia Russo
Por Na Xina Lua (Tondela/ACERT)
Local: ACERT/Tondela

24 sáb
15h30
“ADN”
De Dennis Kelly
Pela Escola Secundária Almeida Garrett (Vila Nova de Gaia)
Local: Teatro Viriato

18h30
“A vida em Vénus”
De Luísa Costa Gomes
Pelo Grupo de Teatro Persona da Escola Secundária 3 (Moimenta da Beira)
Local: Teatro Viriato

21h30
“Escudos Humanos”
De Patrícia Portela
Pelo Grupo do Teatro Viriato
Local: Teatro Viriato

25 dom
11h00
“O que vale um homem que não sabe lutar? O que vale um homem que não sabe lutar? O que vale um cínico sem contrapropostas? Eu acredito num caminho melhor" Lenny Kravitz
Conversa entre encenadores e participantes PANOS
Local: Teatro Viriato
Entrada livre

16h00
“Fim de Linha”
De Letizia Russo
Pela Turma da continuidade da Escola de Teatro da Arte Viva - Companhia de Teatro do Barreiro
Local: Teatro Viriato
Todos os públicos
Teatro Viriato: 2€ por espectáculo // 5€ Todos os espectáculos

//Sinopses dos espectáculos
“Escudos Humanos”
De Patrícia Portela
Por Grupo de Jovens do Teatro Viriato
Na sexta-feira um país declarou guerra a outro por razões de segurança. Um grupo de jovens oferece-se como escudos humanos, imbuídos da convicção de impedir um conflito bélico. Corajosos e idealistas, embarcam numa longa e perigosa viagem para um país distante na esperança de pararem uma guerra, que consideram injusta e que foi declarada pelo seu próprio país de origem. Escudo Humanos, de Patrícia Portela é uma peça de acção com muitas palavras: coros, monólogos, diálogos e debates numa espécie de ópera falada trágico-greco-cómica. É a partir deste texto que o encenador, Graeme Pulleyn e um grupo de jovens de Viseu construíram a peça com o mesmo título. Vídeo e música misturam-se neste espectáculo, onde, constantemente, intérpretes e público partilham o mesmo espaço.

Texto Patrícia Portela Encenação Graeme Pulleyn Assistente de encenação Samanta Jesus Intérpretes Susana Oliveira, Filipe Rodrigues, Micael Almeida, Cláudia Oliveira, Maria Pires, Marta Ribeiro, Daniela Silva, Lidia Oliveira, Mafalda Martins, Joana Portugal, Bárbara Alves, Rute Lemos, Sofia Magalhães, Ana Abrantes, Joana Gonçalves, Aliosman Ahmed, Francisca Palhares, Cláudio Almeida, Joana Oliveira e André Rodrigues Vídeo Óscar Lopes Agradecimentos João Oliva, Nuno Ferreira, Maria João Barros, Liliana Garcia, Ana Filipa Rodrigues, Sandra Bernardo, Sandra Ferreira, Isabel Pacheco e Vítor Almeida Duração 75 min. aprox.

“Fim de Linha”
De Letizia Russo
Por Na Xina Lua

Fim de Linha de Letizia Russo (do Connections 2004, com tradução de Pedro Marques) conta a história de dois grupos de adolescentes. O primeiro é uma comunidade que vive sob o poder ditatorial de Sirius, que todos julgam ser Deus. O segundo é constituído por dois colegas, Kent e Kris, que estão numa longa viagem para conhecer Sirius. Quando Kent e Sirius finalmente se encontram, descobrimos o passado que têm em comum e testemunhamos o desenrolar da sua batalha.

Este foi o texto escolhido pelo grupo de Tondela, Na Xina Lua para apresentarem no âmbito do PANOS. Sobre esta dramatização, o escritor galego, Carlos Santiago escreve: “O poder é uma cena infantil, coisa da treta. É preciso estar à altura. É por isso que esta peça só pode ser representada por adolescentes. Na Xina Lua consegue o objectivo: espantar os adultos com o reflexo exacto do que eles são, do que eles jogam a ser. Um jogo de putos. A diferença é que os actores no palco conseguem tirar do jogo imagens e gargalhadas certas, enquanto os adultos pretendem, pretendemos, acreditar na seriedade da farsa. Gostava só que eles levassem a peça ao extremo do delírio e exprimissem, até ao caroço, o fruto mais negro da comédia”.

Encenação/Assistência Gil Rodrigues/João Almiro Intérpretes Catarina Coimbra, Nené, Chica, Guida, Joca, Teresa Maconda, Daniel, Anita, Jonhix, Wlad, Cadu, Ricci Lee, Sofia, Salomé e Filipa Figurinos e adereços Danny Adaptação musical Lydia Pinho e Zé Saraiva Cenografia Marta Silva e Rui Ribeiro Técnicos João Almiro, João Duvale e Paulo Neto Apoios Toda a equipa da ACERT, os amigos do grupo e Câmara Municipal de Tondela Duração 70 min.

Objectos cenográficos reutilizados e adaptados para a peça: do espectáculo As Cadeiras e figurinos da personagem Sirius do espectáculo Augaciar do grupo Trigo Limpo Teatro ACERT

Pela Escola de Teatro da Arte Viva - Companhia de Teatro do Barreiro

O mesmo texto foi encenado pela Turma da continuidade da Escola de Teatro da Arte Viva – Companhia de Teatro do Barreiro, que acentua a luta pelo poder, manifesta no texto de Letizia Russo. A propósito deste trabalho, a encenadora, Carina Silva escreve: “O poder é consequência, quem tem a palavra tem o poder. O poder não tem saída. Uma revolução tem sempre uma restauração. Dar nomes às coisas. O poder da palavra define o poder das coisas!”.

Encenação Carina Silva Interpretação Ana Carolina Lobato, Ana Marta Rosado, Ana Pimpista, Ana Samora, André Semeano, Catarina Santana, Fábio Pousinho, Helena Cruz, Leonor Coelho, Nuno Magalhães, Rafael Costa, Rebeca Silva, Susana Marques, Vanessa Casanova Assistente de Encenação Ana Sofia Pinto Movimento Andreia Martins Cenografia João Pimenta Adereços Ana Sofia Pinto Figurinos Ana Pimpista Guarda-Roupa Maria Cavaco e Teresa Balbi Luz e Som João Henrique Oliveira e André Silva Montagem Dário Valente e Carlos Tainha Design Gráfico João Pimenta Produção Executiva Rita Conduto Duração 90 min.

“ADN”
De Dennis Kelly
Pela Escola Secundária Almeida Garrett (Vila Nova de Gaia)

Se és um adolescente e fizeres uma coisa mesmo, mesmo má, o que é que deves fazer? Contar aos teus pais? Contar à polícia? Contar a um professor? Não, deves fazer exactamente o que os adultos fazem; encobrir tudo e esperar que ninguém descubra. Ácido DesoxirriboNucleico de Dennis Kelly (do Connections 2007, com tradução de Jacinto Lucas Pires) é sobre um grupo de adolescentes que se une por ter feito uma coisa má. Mas à medida que as coisas evoluem, essa solidariedade recém-descoberta começa a abrir brechas.

Essa interminável espiral, plasmada no texto de Dennis Kelly é interpretada por um grupo de alunos do 12º ano da Escola Secundária Almeida Garrett, Vila Nova de Gaia, animados pela vontade de experimentar as artes cénicas.

Encenação Amarílis Vaz Felizes Intérpretes Diana Fernandes, Mariana de Castro, Elsa Moreira, Mafalda Corte, João Cruz, Maria Silva, Pedro Elói, Miguel Santos, Lia Costa, Rita Moura, Diogo Martins, Paulo Pires, Inês Matos, Joana Cruz, Sandra Ferreira Organização Escola Secundária Almeida Garrett (Vila Nova de Gaia) Professores responsáveis Nuno Alves Pereira e Fernando Rebelo Colaboração André Freitas Marques Apoios Gaianima e Município de Vila Nova de Gaia Duração 80 min.

“A Vida em Vénus”
De Luísa Costa Gomes
Pelo Grupo de Teatro Persona da ES/3 (Moimenta da Beira)

No futuro de A Vida em Vénus de Luísa Costa Gomes todos são riquíssimos e lindíssimos e têm tudo o que é possível comprar. Os programas da escola são programas de televisão. Os estudantes são obrigados a ver televisão e a matéria dos testes é a dos jogos de vídeo. Em casa as pessoas são servidas por robôs que fazem absolutamente tudo e elas não sabem fazer absolutamente nada por si próprias. Tudo é igual em todo o lado. As nuvens, os mares, os campos e os cães são feitos por computador. Mas numa casa, debaixo de uma cama, um rapaz tem um tesouro escondido…

Encenação Lucília Lourenço e Olga Calhau Cenografia Sara Fernandes Intérpretes Maria Sarmento, Pedro Miguel da Silva, Ana Rita Rodrigues, Ana Beatriz Freixo, Eva Aguiar, Mariana Bernardo Nascimento, Inês Xavier, Sofia Lima, Adriana Soares, Guilherme Braga, Rita Gomes Leitão, Francisca Cardia Vale e Dora Luísa Ferreira Duração 60 min.

Comments

Popular Posts