Wednesday, August 31, 2011

"Amadeus" no Teatro Nacional D. Maria II


"AMADEUS"
8 set a 6 nov 2011

SALA GARRETT
4.ª a Sáb. 21h | Dom. 16h

FICHA ARTÍSTICA
de Peter Shaffer
tradução Maria João da Rocha Afonso
encenação Tim Carroll
cenografia F. Ribeiro
figurinos StoryTailors
desenho de luz Daniel Worm D´Assumpção
consultor musical James Oxley
cravista Shaun Ward
interpretação Carla Chambel, Diogo Infante, Ivo Canelas, João Lagarto, José
Neves, Luís Lucas, Manuel Coelho, Martinho Silva e Rogério Vieira.
figuração especial Bernardo Chatillon, Isabel Costa, Joana Cotrim, João
Pedro Mamede, Luís Geraldo e Maria Jorge (da Escola Superior de Teatro e
Cinema)
produção TNDM II
M/ 12


“A origem de Amadeus esteve num desejo antigo de celebrar Mozart, mas a peça não é, na verdade, apenas sobre Mozart. É também sobre Salieri. É sobre a natureza do sentido de injustiça de um homem”, afirmou Peter Shaffer, em 1992.
Em Amadeus, teatro, música e ficção histórica cruzam-se e são muitos os caminhos abertos pelo ímpeto de vingança de um homem, Antonio Salieri (Diogo Infante), compositor da corte austríaca no século XVIII, em relação a Wolfgang Amadeus Mozart (Ivo Canelas), prova viva de que “a música é a arte de Deus”.
A partir da rivalidade que Pushkin criou entre os dois compositores na sua obra Mozart e Sallieri (1831) e que inspirou a versão teatral de Peter Shaffer, Tim Carroll encena o conflito entre a mediocridade virtuosa e o génio fútil.

"O Prisioneiro da Segunda Avenida" em Campolide



"O Prisioneiro da Segunda Avenida"
Ou: “Os prisioneiros da crise”. Não, não estamos a falar de Portugal, 2011. Estamos a falar dos EUA, década de 70 do século passado. É verdade, já havia crise! E que crise!
Mel e Edna vivem em Nova Iorque, na Segunda Avenida, num prédio para onde se mudaram em pleno boom imobiliário (onde é que já ouvimos isto?), num apartamento equipado com todo o tipo de conforto e inutilíssimos gadgets. Subitamente encontram-se “prisioneiros” de uma vida sufocante, com um encargo acima das suas posses, vizinhos barulhentos, ar condicionado que se mantém teimosamente a uma temperatura polar, um autoclismo que funciona à pancada e um stress que está a dar-lhes cabo da saúde.
Mas tudo isto é o paraíso ao pé do que os espera quando a crise, a verdadeira, avança, e com ela a violência, o desemprego, o trabalho precário (onde é que já ouvimos isto?), e o seu mundo até aí de pequenos desconfortos se transforma num caos completamente fora de controlo.
Como lidar com a crise e sobreviver? A receita de Neil Simon passa por esta genial comédia “acre-doce”, divertida e sarcástica, igualzinha à realidade que, hoje e aqui, é mais oportuna do que nunca.
Chorar para quê, se se pode rir com “O Prisioneiro da Segunda Avenida”!
No Sport Lisboa e Campolide, de 5ª a domingo, às 21h30, a partir de 25 de Agosto até 4 de Setembro.

Sport Lisboa e Campolide 25, 26, 27 e 28 de Agosto e 1, 2, 3 e 4 de Setembro de 2011
21h30 | 28 de Agosto e 4 de Setembro 17h · Auditório do Sport Lisboa e Campolide

Texto Original: Neil Simon
Encenação e Cenografia: Frederico Corado
Com: Paulo César, Cátia Garcia e Carlos Martins
E a participação especial de Hugo Rendas, Lauro António e Maria Eduarda Colares
Tradução: Maria Eduarda Colares
Direcção Técnica e Desenho de Luz: Ricardo Campos
Cabelos: Carlos Feio
Contra-Regra: Victor Tavares
Construção: Mestre Manuel Victória
Uma Produção Entrar Em Palco
Estreia 25 de Agosto 2011

Sport Lisboa e Campolide
Rua Victor Bastos, 31 A Campolide | 1070-283 Lisboa
entradas 5€
informações e reservas: 93 962 9012